quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Produção de gas natural - São Paulo é o quarto produtor do país.


O Estado de São Paulo se tornou em novembro o quarto maior produtor de petróleo e gás natural no país, ultrapassando a Bahia ao produzir uma média de 52,7 mil barris diários de óleo e 6,2 milhões de metros cúbicos de gás na bacia de Santos, ou 91,6 mil barris de óleo equivalente (boe).
O volume representa 2,4% da produção total do Brasil, informou hoje a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis.
O Rio de Janeiro lidera o ranking, seguido por Espírito Santo e Amazonas.
Há um ano, São Paulo era o sétimo produtor brasileiro com 17,7 mil barris de boe, e deverá se tornar o primeiro estado produtor nos próximos 10 anos, quando a produção do pré-sal na bacia de Santos estiver no auge.
O incremento da produção de petróleo é resultado dos testes de longa duração nos campos BM-S-9, conhecido como Carioca, e BM-S-40, onde estão os prospectos de Tiro e Sidon, e de gás natural nos campos de Lagosta e Mexilhão, todos na bacia de Santos.
O aumento em São Paulo ajudou a produção de petróleo no Brasil bater recorde em novembro, com 2,188 milhões de barris diários, superando o recorde anterior de 2,180 milhões de barris diários de dezembro de 2010 e registrando alta de 4,8% sobre o mês anterior.
A produção de gás natural no Brasil foi de aproximadamente 68 milhões de metros cúbicos por dia em novembro, a segunda maior da história do país e superior em 2,4% contra outubro.
Segundo a ANP, os maiores aumentos de produção foram registrados nos campos de Marlim, Jubarte e Lula. Os campos do pré-sal foram responsáveis pelo volume de 157,7 mil barris diários e 5 milhões de metros cúbicos de gás natural, uma alta de 17,5% em relação a outubro de 2011. Lula segue com o maior poço produtor, pelo sétimo mês consecutivo, com 27,3 mil barris diários.
PETROBRAS
A produção da Petrobras atingiu 1,968 milhão de barris diários de petróleo e 65,8 milhões de metros cúbicos de gás natural, seguida da Chevron Frade, que apesar do acidente no dia 7 de novembro continuou na segunda posição, à frente da Shell, com produção de 73,3 mil barris diários de petróleo e 869 mil metros cúbicos e gás natural.
A qualidade média do petróleo brasileiro, no entanto caiu de 24,5 graus API em novembro de 2010 para 23,6 graus API em novembro de 2011. Pela escala do American Petroleum Institute, quanto mais próximo de 50 melhor a qualidade do óleo.

( Folha de São Paulo, 4 de janeiro de 2012 )

Nenhum comentário:

Postar um comentário