sábado, 25 de fevereiro de 2012

Maranhão, capitania hereditária fecha escola.

Maranhão fecha escolas para cortar gastos, depois doa R$ 2 milhões para carnaval.



A governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB),
doou R$ 2 milhões para a escola de samba carioca Beija-Flor. O enredo da
agremiação homenageou os 400 anos da capital São Luís. O valor do patrocínio foi
revelado pelo jornal O Estado de S. Paulo, mas reportagem publicada no
portal de notícias Acesse Maranhão afirma que foram repassados R$ 10
milhões.

No início do ano, a Secretaria de Educação fechou
quatro escolas da rede estadual, com o objetivo de cortar gastos. A Justiça
avalia uma ação do Ministério Público Estadual que pede a reabertura das
unidades de ensino.

O Censo 2010 do IBGE classifica o Maranhão como o
quarto estado com o maior percentual de analfabetos na faixa etária acima de dez
anos. Ao todo, cerca de 1 milhão de maranhenses ainda não sabem ler nem
escrever. No Brasil, são 14 milhões de pessoas na mesma condição.

Segundo dados do Ministério Público do Trabalho
(MPT), ao lado do Piauí, o Maranhão é o estado que mais exporta mão-de-obra para
trabalho semelhante ao escravo. O analfabetismo é apontado como a situação mais
propícia para esse tipo de exploração.

Ainda segundo o IBGE, o Maranhão é o estado mais
precário quando o assunto é saneamento básico. Apenas 1,4% dos municípios são
atendidos por redes de coleta e tratamento

A nota é desistimulante. O país continua do mesmo modo quando à época do Império, com o ensino não levado à sério. Deveria ser prioridade.

Lamentável. Profundamente lamentável.

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br
( matéria colhida do Correio da Cidadania )

Nenhum comentário:

Postar um comentário