domingo, 1 de abril de 2012

ROBERTO DIAS - membro do Conselho Editorial !

Roberto Dias Branco

Nasceu em 7 de janeiro de 1943 em São Paulo Foi jogador de futebol, bicampeão
paulista de 1970 e 1971 pelo São Paulo, clube do qual é um dos maiores ídolos.


Esteve entre os pré-convocados para a Seleção Brasileira de Futebol que disputou
a Copa do Mundo de 1966. CarreiraRoberto Dias, ou simplesmente
Dias, começou a jogar bola nos juvenis do próprio São Paulo, aos 16 anos. Dias
sempre foi a imagem do jogador técnico.


Foi o grande craque do time nos anos
1960, porém sem conquistar nenhum título, pois a preocupação era a construção do
Morumbi. Os torcedores iam a campo para vê-lo, tamanha a intimidade que tinha
com a bola. A saída do goleiro era através de Dias, que colocava a bola em
qualquer lugar do campo.


Dava chapéus, inclusive em Pelé. O próprio Pelé, aliás,
reconhecia a dificuldade de superar a marcação de Dias, jogador habilidoso e
técnico, sem dúvida um dos maiores que o São Paulo já teve.


Em 1967, foi eleito "Atleta do Ano". Nesse mesmo ano, marcou um gol histórico contra o
Fluminense, do Rio de Janeiro: jogando como meio-volante, entrou em diagonal na
intermediária adversária e, como recebeu um passe em suas costas, tocou de
calcanhar, dando um chapéu em um defensor adversário e, sem deixar a pelota
cair, fuzilou a meta do goleiro fluminense.


Em 1970, conquistou seu primeiro título paulista atuando ao lado de Gérson e Toninho, entre outros.


Pouco depois, foi obrigado a ficar afastado dos campos de futebol, vítima de uma
complicação cardíaca. Aparentemente, uma bolada no pescoço deixou uma de suas
coronárias entupida. Passou quase dois anos parado — embora fizesse parte do
elenco que ganhou o Campeonato Paulista de 1971, disputou apenas uma partida
naquele ano e pelo Campeonato Brasileiro.


Ganhou passe livre em 26 de setembro de 1973 e foi para o Jalisco, de Guadalajara, México, clube que defendeu por três anos, ganhando ainda o prêmio de melhor atleta estrangeiro de
1974. Ao voltar ao Brasil, ainda defendeu o Nacional, de São Paulo, até se
aposentar, em 1979.


Dias estreou na Seleção Brasileira durante as Olimpíadas de 1960, em Roma, quando formou o meio-de-campo com Gérson. Ao longo de sua carreira, defendeu a Seleção por 27 vezes. Em
1964, durante partida contra a Inglaterra no Maracanã, marcou um gol de falta no
final da goleada por 5x1, enquanto Pelé e Gérson, os batedores "oficiais",
discutiam quem cobraria. "Me meti no meio deles", conta, "e, quando menos
esperavam, chutei e fiz o gol. Ninguém falou nada. Só que se eu tivesse
errado...Craque da década de 60, Roberto Dias morre aos 64
anos.

Roberto Dias Branco, craque do São Paulo da década de
60, morreu na capital paulista. Após ser internado no
Hospital das Clínicas, o ex-jogador foi vítima de uma parada
cardio-respiratória, falecendo com 64 anos. O ex-atleta era conhecido
por sua polivalência dentro do Tricolor paulista, atuando tanto como zagueiro
quanto como meio-campista. Apesar de sua reconhecida habilidade – era tido como
um dos poucos que conseguiam trazer dificuldades para Pelé ao marcá-lo –, ele
ganhou apenas dois títulos pelo São Paulo, que se concentrava na construção do
Morumbi.


No total, disputou 592 jogos pela equipe do São Paulo e marcou 123 gols É um heroi da história do SPFC, durante a construção do Morumbi, época de vacas magras para o time, onde
cada centavo ia para comprar ferro, cimento e areia, foi o grande craque e
ídolo.


Roberto Dias é membro do Conselho Editorial do Expresso Vida e não será esquecido por todos que gostam e conhecem futebol.

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário