quinta-feira, 7 de junho de 2012

Guerra: Marinha x quilombolas !




O Quilombo do Rio dos Macacos!
A presidente Dilma Rousseff vai decidir sobre o destino das 34 famílias (cerca de 100 pessoas) do Quilombo Rio dos Macacos, que vivem um impasse com a Marinha pela posse da área localizada dentro da Base Naval de Aratu.

Uma solução definitiva só virá após o relatório do Incra, que deverá constatar a origem quilombola das famílias e de uma posterior decisão da presidente.

Acordo entre o comando da Marinha e os deputados da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal definiu pelo patrulhamento somente no entorno da área ocupada pela comunidade do Quilombo Rio dos Macacos. A medida emergencial visa acalmar os ânimos entre militares e moradores até 1º de agosto, quando terminará o prazo da suspensão judicial que impediu a retirada das famílias da região.
Reivindicada pelas famílias que lá vivem, a área está em litígio desde 2009, quando a Advocacia Geral da União (AGU) impetrou uma ação reivindicatória – acatada pela juíza Arali Maciel Duarte, da 10ª Vara Federal – determinando a retirada dos moradores do local. A execução da retirada estava marcada para 4 de março, mas o governo federal determinou a suspensão da tomada do território.

O impasse é próprio do pais, onde além de futebol, samba e hipocrisia, prevalece a injustiça oficializada e a confusão jurídica.
Nessa contenda entre a base naval, muito freqüentada por altas autoridades federais para descanso e as famílias descendentes de quilombolas, o resultado é o massacre social.
A história é a mesma da Restinga da Marambaia no litoral carioca e de tantos outros cantos do país. O Brasil está cada vez mais injusto e concentrador de renda e poder.
Militares ou civis, prevalece a história de 500 anos de imposição da força pelos poderosos contra os mais frágeis.
 
Roberto J. Pugliese
( fonte – A Tarde,  Salvador – 5 de junho de 2012 )

Nenhum comentário:

Postar um comentário