sábado, 11 de agosto de 2012

Lembrança saudosa !

Lembrando o bom amigo !
 
Faz muito tempo... Bem mais que cinqüenta anos. Acho que foi em 1955, um pouco antes talvez.
Com o entusiasmo de sua juventude e o amor indisfarçável, atravessou a rua com a pequena bicicleta numa das mãos e as minhas pequeninas na outra, e na calçada iniciou a explicação.
Mais uma lição.
- Não tenha medo. Pedale sem parar que terá maior equilíbrio. Vai, estou aqui do seu lado.
E assim foi. Sem as rodinhas de apoio, após algumas tentativas, consegui aprender andar de bicicleta.
Consegui, sob a sua carinhosa orientação, equilibrei-me o suficiente e dei a volta no quarteirão.
E do mesmo modo, não muito tempo depois, na Prainha dos Pescadores, em Itanhaém, tendo sua segurança de estar ao meu lado, ele que não sabia, me ensinou a nadar.
Passaram-se os anos e lá estava ele, como sempre ao meu lado, parceiro, companheiro e amigo, me ensinando a dirigir automóvel... Que beleza, 1963 ou antes... e sob seu olhar, já dava umas voltas ao redor do quarteirão...
Mas não foi só isso. Aprendi muito. Bem mais que andar de bicicleta, nadar, dirigir automóvel... a ser gente, ser homem...  A ser leal e ter coragem. Através de seu exemplo sou corajoso e com segurança enfrento as dificuldades da vida mentalizando suas lições.
Vasculhando seus pertences, após o óbito, me deparei com um livro Saudades - que há anos atrás ganhara de um cliente. Um dos inúmeros tantos outros clientes que, na sua forma de ser, de expor seu conhecimento e respeitar o próximo ajudara.
E no verso da primeira folha, a dedicatória do autor, o texto manuscrito, assim dizia:
“ Ao ilustrado e benquisto amigo Francisco Pugliese, o competentíssimo escrivão tabelião, em quem não se sabe que é mais cérebro ou coração, a homenagem de admiração e gratidão de Tales C. Andrade. Ano Bom, 1956, São Paulo “
Nos dias dos pais... resta-me suas lições, exemplos e SAUDADES !
Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário