terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Corrupção de norte a sul atinge costa carioca.


SUSPEITAS DE CORRUPÇÃO NO LITORAL FLUMINENSE.


 

O licenciamento ambiental da Siderúrgica Ternium S.A. do Complexo industrial do Açu, no litoral fluminense está sendo beneficiado por estudos com informações e documentos falsos, conforme denuncia firmada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, na qual nome pessoas e três empresas foram acusadas de crimes contra a administração ambiental.

A Denúncia subscrita por órgãos do Ministério Público agindo no Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente (GAEMA), atuando em auxílio à 19ª Promotoria de Investigação Penal. O documento aponta como responsáveis pelos crimes: as empresas Ecologus Engenharia Consultiva, Ternium Brasil S.A e Braile Engenharia, os engenheiros Cláudia Provenzano Barros, Edson Cruz de Sá, Virgínia M. Machado, Rafael Cardoso, Victória Valli Braile e Márcio Valli Braile, os funcionários públicos Carlos Alberto Fonteles de Souza e Mariana Palagano Ramalho Silva e a bióloga Tânia Maria Parucker Araujo Penna.

O complexo industrial aludido tem o envolvimento direto e indireto do arqui milionário brasileiro Eike Baptista e dos demais responsáveis pelo Porto do Açu, em construção às margens da foz do rio Paraíba do Sul, em Campos, Rj.
Se condenados, os acusados deverão cumprir as penas previstas nos artigos 66 e 69-A da Lei 9605/98, que trata das condutas e atividades lesivas ao meio ambiente (até seis anos de reclusão e multa), além das expressas no código penal.

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br
Autor de Direito das Coisas, Leud
Membro da Academia Itanhaense de Letras.

 ( Fonte – Blog Roberto Moraes )

Nenhum comentário:

Postar um comentário