sábado, 19 de janeiro de 2013

Pindorama - Triste realidade !


 AEROPORTO INTERNACIONAL ABANDONADO !
O aeroporto internacional de Parnaíba, no litoral do Piauí, foi  construído pelo governo federal para receber cem mil passareiros ao ano, no entanto, em 2012, menos de três mil frequentaram o terminal. É a maior pista do Estado e está às moscas.

Sua manutenção aproxima-se aos quatrocentos mil reais por mês.  Abusurdo se lembrarmos que no país faltam terminais e outros existentes são insuficientes e precários.

Como se joga dinheiro fora na imensidão territorial de um país que dispõe de sua organização política altamente centralizada.

Se o aeroporto tivesse sido construído pelo governo local, talvez, não o tivesse sido e esses valores despendidos, inclusive com sua manutenção, teriam sido aplicados na construção centenária do porto de Luiz Correa.

Há treze anos, o aeroporto internancional não tem vôo regular. Em média são quatro vôos por dia. Apenas. Apenas vôos particulares e taxis contratados.

Inaugurado durante a ditadura militar serviu para exportação de produtos agrícolas para a Europa. Situado nas proximidades dos Lençois Maranhenses, do Delta e das praias do Ceará, poderia ser melhor utilizado. No entanto, não há interesse das empresas aéreas nacionais e também das estrangeiras. E as autoridades locais ou estaduais não se mobilizam para mudar esse quadro desolador.

Enquanto isso, as autoridades federais sem condições de  investirem em terminais onde há excesso de movimento, se vêem obrigadas a privatizarem aeroportos rentáveis, numa inversão total de valores e prioridades.

A Infraero, empresa federal que administra a maioria dos aeroportos brasileiro, revela como a federação é frágil e praticamente inexistente. Gerencia o aeroporto de Brasília, de Manaus, de Salvador... e também o internacional de Parnaiba, revelando-se tão competente para conhecer o país... a ponto desse absurdo ser a verdade. São 270 campos de pouso nesse acervo.

Lamentável. A critica é dever da inteligência.

Por essas e por outros a federação brasileira precisa a par de ser reformulada, com reforma política, também ter maior número de Estados e Territórios Federais, inclusive Gurgueia.

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br
Autor de Direito das Coisas, Leud
Membro da Academia Itanhaense de Letras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário