quinta-feira, 4 de abril de 2013

Desembargadora acusada de corrupção é aposentada !


Aposentada compulsoriamente por corrupção a ex presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins.

Por unanimidade, o plenário do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu,  durante a 159ª sessão ordinária, aposentar compulsoriamente a desembargadora Willamara Leila de Almeida, do Tribunal de Justiça do Estado de Tocantins (TJTO). A decisão foi tomada na análise do Processo Administrativo Disciplinar (PAD) 0005107-69.2011.2.00.000, relatado pelo conselheiro José Roberto Neves Amorim, que atestou conduta incompatível de Willamara com o exercício de suas funções.

O processo, proposto pelo CNJ, atestou que a desembargadora, quando era presidente do TJTO, cometeu os seguintes desvios de conduta: processamento irregular de precatórios; incompatibilidade entre seus rendimentos e a movimentação financeira; designação de magistrado em ofensa ao princípio do juiz natural; coação hierárquica; promoção pessoal por meio de propaganda irregular; irregularidades na gestão administrativa e apropriação de arma recolhida pela Corregedoria-Geral da Justiça do Tocantins.

Sem delongas o Expresso Vida lembra que o Conselho Nacional de Justiça, que correu o risco de ser extinto é o único meio de manter o Poder Judiciário, como um todo, impoluto, como outrora.

Outros desembargadores do mesmo Tribunal ainda estão sendo objeto de processo disciplinar administrativo e a ex desembargadora será objeto de denuncia do Ministério Público Federal.

Roberto J. Pugliese
Presidente da Comissão de Direito Notarial e Registros Públicos
OAB- SC
( Fonte Agência CNJ de Notícias )

Nenhum comentário:

Postar um comentário