quarta-feira, 1 de maio de 2013

Privatizar águas agora. Ar depois...


Privatização da Água.

Peter Brabeck-Letmathe presidente do grupo Nestlé, desde 2005 afirma que é necessário privatizar o fornecimento da água. Isso para que nós, como sociedade, tomemos consciência de sua importância e acabássemos com o subpreço que se produz na atualidade. 

Palavras sujas que provocaram estupor, sobretudo quando se tem em conta que a Nestlé é a líder mundial na venda de água engarrafada. Um setor que representa 8% de seu capital, que em 2011 totalizaram aproximadamente 68,5 bilhões de euros.

Apesar das rejeições que sua posição provoca, faz tempo que ele defende, sem cerimônia, que qualifica de extremistas as ONGs que sustentam que a água deveria ser um direito fundamental.

Em sua opinião, a água deveria ser tratada como qualquer outro bem alimentício e ter um valor de mercado, estabelecido pela lei de oferta e procura. Só desta maneira, aponta, empreenderíamos ações para limitar o consumo excessivo que se dá nesses momentos.

O referido empresário esquece que os alimentos, de um modo geral, deveriam ter tratamento diferenciado e não ser tratado como outro bem patrimonial.

Assim como outrora, a Nestlé continua a ser a principal representante e o maior símbolo do Capitalismo Selvagem... durante anos incentivou o consumo de leite Ninho, marca de sua produção em detrimento ao aleitamento materno  e sua substituição antecipada.

O Expresso Vida repudia a manifestação e se coloca ao lado daqueles que entendem que os bens naturais não devem ser entregues como patrimônio particular à ninguém.

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br
Membro da Academia Itanhaense de Letras
Membro da Academia Eldoradense de Letras
Advogado sócio de Pugliese e Gomes Advocacia
Autor de Terrenos de Marinha e seus Acrescidos

( Colaboração V. H. Noroefé )

Nenhum comentário:

Postar um comentário