terça-feira, 18 de junho de 2013

Os líderes surgem do nada ! non duco ducor !


 
 
MANIFESTAÇÕES.

SÃO PAULO À FRENTE ! 

A juventude paulista foi para as ruas contra o ditador Getúlio Vargas em 23 de maio de 1932, morrendo Márcio, Miragaia, Drausio e Camargo, pela polícia política e covarde do caudilho, cujas mortes deram origem ao MMDC e fez eclodir em 9 de julho a Revolução Constitucionalista.

Em março de 1964 pelo descontentamento e desgoverno generalizado, mais uma vez o povo paulista, foi para as ruas e, organizando a Marcha pela Família, incendiou o país, provocando o golpe sórdido de 1964 nas vésperas do dia da mentira.

Sem entrar no mérito do conteúdo ideológico desses movimentos, valendo recordar que outrora, séculos antes, já houvera movimento na vila de São Paulo de Piratininga, no sentido de separá-lo do restante da Colonia, e o povo foi para as ruas nomeando um paulista Rei, que não aceitou o múnus para evitar a guerra e também, lembrando que D. Pedro I, se encorajou a gritar pela independência do Brasil, às margens do riacho Ipiranga, pois sabia que teria respaldo popular, percebe-se que movimentos cívicos têm sua origem na grande cidade.

Agora o país acompanha mais uma vez os estudantes paulistas e sai às ruas.

Jovens da capital, descontentes e com os limites da passividade ultrapassada, vão para as praças e mais uma vez repetem o exemplo das turbas anteriores. Jovens nascidos em todo o país, que residem na acolhedora cidade maltratada, se unem para gritar contra desmandos repetidos e lideranças apodrecidas pela corrupção endêmica.

Pelo grito paulistano, seguiram-se gritos noutras cidades e o exemplo está encorajando os que se escondem no silencio da indecisão.

Neste instante, não vou entrar no mérito e opinar, mas posso asseverar que mais uma vez o Brasil se desmembra, de um lado, com São Paulo, Rio, Minas e Rio Grande assumindo a posição de líderes, demonstrando a própria grandeza desses lugares, o desenvolvimento econômico e social, e todas as notabilidzadas condições de trazer o país para o lugar merecido, como seus povos assim procedem históricamente, e de outro lado, o povo inibido, receoso, acanhado e, talvez acovardado em não se apresentar à frente, mostrando porque são comandados e não se consideram o esteio da Nação.

Cadê o Paraná, de tão expressiva economia ? Santa Catarina, tida e auto considerada a expressão maior da cultura, auto conclamada o primeiro mundo brasileiro? Cade a Bahia de vultos históricos, terra do petróleo, a quinta economia brasileira ? Pernambuco, Pará, Goiás... cadê os brasileiros provincianos que se omitem diante da turba política que busca um país melhor?

Importante a reflexão.

Non duco ducor ! São Paulo nos melhores e piores momentos sempre esteve e estará à frente.

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br
Titular da Cadeira nº 35 – Academia São José de Letras

Nenhum comentário:

Postar um comentário