terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Aniversário da cidade de Sâo Paulo!


Parabéns, feliz aniversário !
(A cidade que não pode parar )


São quatrocentos e sessenta e seis anos de vida que   vamos parabenizar pela formosura irradiante de ser considerado de importância impar, servindo de paradigma para todo o pais e lugares outros distantes, mesmo enfrentando as adversidades peculiares por se encontrar no seio empobrecido do terceiro mundo.




Dispensadas as falsas modéstias, 25 de janeiro é data para  aplausos e reverencias à cidade de Sâo Paulo.

Refiro-me a célebre aniversariante, nascida no topo do outeiro perdido, às margens do Anhembi, junto à confluência do Tamanduateí, onde destemidos evangelizadores, após vencerem as escarpas de Paranapiacaba, assistidos por Tibiriçá, Bartira, João Ramalho e do Bacharel de Cananéia, ergueram a singela capela para cristianizar os Guaianases e demais gentios dali naturais e no dia evocado ao Santo Paulo, inauguraram o tosco colégio, plantando a semente do saber e da grande metrópole que se espalhou alcançando as serras da Cantareira, dos Cristais, do Japi... Ocupando todo o planalto de Piratininga.

Que alegria o invejável privilégio de ser seu filho e na convivência diversificadas pelas raças sempre chegantes, poder apreender os saberes cosmopolitas, tornando-se bravo e forte para enfrentar o mundo, decifrando facilmente seus infindáveis enigmas.

Saberes achados nos becos, esquinas e escadas de uma cidade nua. Saberes de um povo vibrante, espalhados pelas avenidas, parques e os incontáveis prédios, automóveis e muita gente bonita.





O aniversário é da cidade e de seu corajoso povo hospitaleiro, que recebe a todos, oportunizando lhes condições minimamente dignas para que migrantes e passantes, na busca incessante cuja origem os negou, encontrem o aconchego do lugar e o agasalho para ficar. Ninguém os importuna. Ninguém os teme. Um povo e uma cidade na qual cada um cuida de si, sem qualquer receio do aventureiro, que infiltrado na multidão, ajuda a promoção do saudável caos urbano, transformando, ao longo dos anos, a elegante capital sisuda e europeia, na balburdia alegre e cultural desorientada e poluída.

Cidade que recebe de braços abertos os migrantes preparados para ajuda-la na incessante construção, promovendo sem descanso a esperança no porvir.

Non ducor, duco é o lema de seus filhos. E nessa liderança natural, esteja onde estiver, essa bandeira, herdada daqueles que rasgaram Tordesilhas e tantas outras linhas para fazer crescer o país, o paulistano não se acanha, comandando de modo organizado as ações nas quais se atreve promover... e ao lado de paulistas, brasileiros e cidadãos ousados de todas os cantos do mundo, numa babel laboriosa e colorida, com o rigor que se lhes impõe, atingem o êxito de suas empreitadas, estribados nas lições legadas dos heroicos filhos do mesmo berço...

Bandeira do Estado de São Paulo hasteada no Jardim da Residência do Editor
Florianópolis, Sc

Que fique bem claro e expresso:
Ainda que ignorem ou neguem, o sucesso do Brasil  depende fundamentalmente do sucesso de São Paulo. Se a cidade vai bem, o Estado que lhe empresta o nome também vai e assim o país segue seu rumo e destino grandioso. Infelizmente, a cidade que luta por todos não recebe do todo o mínimo agasalho que precisa para continuar a liderar e engrandecer a todos.

Enfim, nesse dia de São Paulo, festivo e alegre, o Expresso Vida conclama a todos os brasileiros, especialmente os administradores e representantes do povo, que olhem e atendam os reclamos mínimos que os paulistanos clamam para que dignamente continuem a trabalhar pelo bem do país.

Parabéns, Sâo Paulo de Piratininga !


*
Roberto J. Pugiese é paulistano.

www.puglieseadvogados.com.br
autor de Quase Romance - Contos de Conceição

Um comentário: