sábado, 5 de janeiro de 2019

Manifestação da AASP na posse de sua atual diretoria - 2019


O Expresso Vida transcreve o texto extraído do boletim da Associação dos Advogados de São Paulo a respeito do ano que se inicia e da atual gestão que também se incia para a AASP.

Na entrevista a palavra do presidente diz respeito aos enfrentamentos que os advogados terão diante no atual governo federal.

"
O novo presidente da Associação dos Advogados de São Paulo (AASP), Renato José Cury, disse que ‘a Advocacia exercerá um papel de protagonismo’ no governo Bolsonaro, que escalou o ex-juiz da Lava Jato Sérgio Fernando Moro para um combate sem tréguas à corrupção e ao crime organizado.

Cury declarou ao Estadão. ”Esperamos que toda e qualquer iniciativa esteja calcada na estrita legalidade e em observância aos ditames do Estado democrático de Direito.”

AASP, com mais de 80 mil associados e 75 anos de existência, é a maior associação de advogados da América Latina.

Eleito no fim de dezembro com o Conselho Diretor da entidade, Renato Cury analisa que ‘o novo governo foi eleito com a expectativa popular de combate à corrupção’.

“Dentro deste cenário, acreditamos que o governo criará uma agenda em relação a este tema”, avalia.

Nesta quarta, 2, o novo ministro da Justiça e da Segurança Pública anunciou detalhes da estratégia do governo Bolsonaro para sufocar o crime organizado. Moro defendeu o isolamento das lideranças de facções criminosas e a aprovação de leis mais amplas para acuar a corrupção.

Sob o guarda-chuva do superministério de Moro ficará o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), que mapeia movimentações atípicas ou suspeitas na malha bancária.

O ex-juiz federal da Lava Jato disse que o Brasil ‘não será um porto seguro para criminosos e para o produto de seus crimes’.

Ele não citou nomes, mas em um trecho de seu pronunciamento claramente se referiu ao italiano Cesare Battisti, condenado em seu País à prisão perpétua por quatro assassinatos e que está foragido. “Quando países não cooperam, quem ganha é somente o criminoso. O Brasil não será um porto seguro para criminosos e jamais, novamente, negará cooperação a quem solicitar por motivos político partidários.”

Na avaliação de Renato José Cury, ‘a Advocacia poderá ser muito demandada’ no governo Bolsonaro. Ele considera que a Advocacia ‘deve estar preparada para responder qualquer tentativa de violação de direitos’.

Graduado pela PUC/São Paulo e pós-graduado em Processo Civil também pela Pontifícia Universidade Católica, Cury é mestre em Direitos Difusos e Coletivos, com ênfase nas relações de consumo. Tem atuação no contencioso e arbitragem nas matérias envolvendo Direito Civil, Comercial, Consumidor e Público. Na Associação, ocupou os cargos de vice-presidente, 1.º secretário, 1.º tesoureiro e 2.º secretário, informou o Núcleo de Comunicação da AASP.

Com a eleição, a composição da nova Diretoria da Associação será a seguinte: Presidente,Renato Cury; vice-presidente, Viviane Girardi; 1.ª secretária, Fátima Cristina Bonassa Bucker; 2.º secretário, Mário Luiz Oliveira da Costa; 1.º tesoureiro, Eduardo Foz Mange; 2.º tesoureiro, Rogério de Menezes Corigliano; Diretor cultural, André Almeida Garcia; Assessora da Diretoria, Silvia Rodrigues Pereira Pachikoski.

Logo que eleito, Cury declarou. “Novos governos tomarão posse a partir de 1.º de janeiro no âmbito federal e estadual, resultado de um processo eleitoral marcado pela manifestação democrática que clama por transformações. Tal cenário obrigará que a AASP esteja sempre atenta a tudo o que possa atingir de alguma forma o exercício da nossa atividade profissional. Esta é nossa missão institucional.”

O advogado foi incisivo. “Seremos intransigentes com qualquer tentativa de violação à Constituição Federal e ao Estado Democrático de Direito e lutaremos diuturnamente para assegurar a ampla defesa, o contraditório e o devido processo legal.”

Segundo Cury, além do volume de processos em curso no Judiciário e da questão envolvendo a chamada ‘jurisprudência defensiva’, um outro tema que tem preocupado a classe é a forma pela qual a inteligência artificial está impactando a profissão do advogado.

“A Associação dos Advogados de São Paulo está há alguns anos trabalhando no tema das tecnologias voltadas para o Direito, tudo de maneira a preparar os advogados para lidar com esta nova realidade. A inteligência artificial está aí e os advogados precisam estar preparados para trabalhar neste cenário. Estamos prontos para apoiar os advogados nesta causa”, declarou. "

Roberto J. Pugliese
editor
www.puglieseadvogados.com.br
Membro do Instituto dos Advogados de Santa Catarina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário