sábado, 27 de outubro de 2018

Triste realidade brasileira !

Expresso Vida traz a mensagem de uma brasileira indignada com a realidade.
Escute até o final. Não é tão longa. Apenas uma oração !


 
 
Contribuição de Dr. Sérgio Sérvulo da Cunha, da cidade de Santos, Sp.
 
Roberto J. Pugliese


sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Carta Aberta pela Democracia


" CARTA ABERTA AOS AMIGOS DE CANANÉIA E DO LITORAL SUL DE SÃO PAULO "

Prezados amigos de Cananéia,

Saudações.

 Numa tacada inicial quero deixar claro que não sou filiado e sequer tenho vínculos ou grande simpatia pelo Partido dos Trabalhadores. Tão pouco sou comunista.
 

 
Justifico que não me qualifico como trabalhador dentro da  organização social, por ser profissional liberal, não ser empregado, não depender de carteira de trabalho e fundo de garantia e não me sentir representado, neste segmento, pelo PT.
 
O PT não me representa há muitos anos.
 
De outra parte, ao longo da vida, fruto de meu trabalho no exercício de diversas atividades que cumpri, e ainda cumpro, ministrando palestras, lecionando, advogando especialmente para pobres e desvalidos e pequenos empresários, adquiri alguns poucos bens e fiz alguns investimentos que me permitem ser considerado um capitalista de pequeno ou ínfimo porte. Me incluem na elite financeira medíocre.
 
Daí, não ter porque, nesse crepúsculo de vida, ser comunista ou abraçar a causa marxista em suas diversas expressões sócio econômicas. Nem tenho mais tempo para devaneios dessa ordem.
 
No entanto, nessa  conjuntura política, social, economica e cultural que se apresenta, salientando-se mais um embate plebicitário que ideológico, me vejo diante da opção menos cruel para o meu país. Até porque, na alma e na essência do meu coração, construído ao longo do tempo, das lições paternas e universitárias, sou democrata e defensor de direitos humanos, pregando a palavra de Jesus Cristo interpretada à luz da sábia teologia da libertação.
 
Daí, vir diante de todos os conhecidos de Cananéia, cidade que estimo e tenho muita querência e prezo, assim também dos demais amigos também queridos de todo o litoral paulista, mostrar sem delongas que votar no Partido dos Trabalhadores nesse II turno das eleições presidenciais é evitar a catástrofe anunciada.
 
Os pobres e os desvalidos, em tanta quantidade que existem, espalhados pelos cantos rurais e urbanos do país, especialmente no litoral paulista, serão esmagados pelo Capitão candidato a presidente.
 
Em pouco tempo, o SUS com todos os defeitos será um projeto esquecido. As creches serão à distancia e, não existirão mais financiamentos para o ensino dos pobres em escolas particulares e as universidades públicas serão pagas.
 
O dinheiro abastecerá bancos e limitará o acesso aos assalariados e aos que vivem de bico, inclusive pescadores artesanais e rurícolas da Mata Atlântica.
 
O PT teve erros. Muitos erros. Inclusive em seus quadros e com aliados, terem a vergonha da condenação criminal e estarem gradeados nas penitenciarias pagando por erros no exercício do poder político.
 
O PT tem a pecha de ser um quadrilha. Ruím. Péssimo.
 
Mas atentem-se: O capitão de Xiririca, o outro candidato, descaracterizará a soberania brasileira, dando continuidade ao projeto de entregar empresas brasileiras e bens naturais aos interesses de outros países. E como se não bastasse, ignorar o clamor social da maioria da população.
 
Não podemos apostar. Não irá dar certo.
O Brasil é um Estado Soberano com vocação para brilhar e comandar o mundo. Não pode se submeter ao deboche de um militar truculento, que ignora os menos favorecidos, não aceita os desiguais e os que pensam diferente. Um militar fracassado que vai entregar o país para o capital internacional explorar sem freios a população, beneficiando apenas os privilegiados e elitizados.
 
Enfim, Cananéia e seu povo precisa mais do PT, nesse momento difícil que estamos passando, do que os privilegiados que irão se beneficiar com a concentração de renda exacerbada própria do neoliberalismo que será implantado.
 
Enfim, pensando nos menos favorecidos, serve essa carta virtual para pedir que votem no Haddad, ainda que sob críticas, como eu irei votar em homenagem a defesa do meu país e dos meus compatriotas.
 
Abraços

Roberto J. Pugliese
editor.
Cidadão honorário de Cananéia. 

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Perigo de Golpe (? )

Expresso Vida transcreve texto colhido da Revista Carta Capital - Pela leitura, vislumbra-se e há possibilidade de golpe.

"No alerta feito agora ao QG petista, há mais coisa sinistra. O mesmo STF que teria tido um de seus membros bisbilhotado há pouco mais de um ano estaria hoje sob o tacão dos quartéis. A começar pelo presidente da Corte, Dias Toffoli, contra quem já haveria munição para usar.
Seria para agradar aos militares que Toffoli classificou recentemente o golpe de 1964 de “movimento de 1964”? Seria esse também o motivo para ter nomeado como seu assessor especial o número 2 do Exército até aquele setembro, o general Fernando Azevedo e Silva?
Um oficial que, soube-se recentemente, presta colaboração informal à campanha de Bolsonaro, tendo inclusive recebido Mourão em sua casa para um almoço em setembro.
Nas redondezas do gabinete de Toffoli circula uma história espantosa. Quando Bolsonaro tomou uma facada, em 6 de setembro, altos oficiais teriam se revoltado e decidido ir às ruas. A ameaça de golpe militar era real. Como Temer não tem autoridade moral para enquadrá-los, sobrou para Toffoli segurar o abacaxi. A nomeação de um general para assessor teria sido um misto de abertura de canal com o Exército e aceitação tácita de tutela fardada.
Em 9 de setembro, o Estadão publicou uma entrevista com o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, em que ele afirmava que haveria risco de instabilidade no País, caso Bolsonaro fosse derrotado e essa derrota, encarada como efeito da facada.
Mais: que a candidatura de Lula, se aceita pelo Judiciário, provocaria a mesma instabilidade. Até hoje, nem Toffoli nem Villas Bôas comentaram a nomeação de Azevedo e Silva.
Há sinais de que as Forças Armadas aderiram à Operação Lava Jato e não aceitam a soltura de Lula. Quando o STF negou um habeas corpus ao petista, em abril, um general da reserva, Paulo Chagas, recém derrotado na disputa pelo governo do Distrito Federal, mandou uma carta ao juiz Gilmar Mendes, que votara a favor do HC, em tom ameaçador.
“Se a última esperança de salvar a Nação do caos, depositada pelos brasileiros nas mãos dos Ministros do STF, está desmoronando, onde estará a salvação?” Nas Forças Armadas, dizia.
Em setembro, um bolsonarista general da reserva, Luiz Eduardo da Rocha Paiva, defendeu no GloboNews a ideia de um “autogolpe”, ou seja, de golpe, pois não daria para confiar nem no STF. “Vai fazer o quê? Vai esperar o esfacelamento da Nação?”
O alerta recente ao QG petista continha mais duas informações. Etchegoyen teria garantido uma espécie de salvo-conduto para Temer, quando este deixar o poder. Como se sabe, há dois processos criminais à espera do emedebista.
Além disso, já haveria articulações para blindar a Lava Jato no Supremo por meio de duas nomeações para a Corte no próximo governo, para vagas que serão abertas em 2020 e 2021. Uma nomeada seria a PGR Raquel Dodge, que gosta da ideia, segundo relatos. O outro seria o juiz Sergio Moro.
“Não tenho receio de um golpe militar que impeça o Haddad de assumir, caso ele vença. Tenho é de o Supremo impedir, por pressão militar”, disse à reportagem o petista alertado. Como seria a manobra jurídica? “O Supremo e o TSE podem inventar problemas nas nossas contas de campanha.”
Na PGR, há gente graúda com seus receios. “A preocupação é enorme. O golpe parece inevitável em algum momento, principalmente se o Haddad ganhar”, diz um subprocurador-geral da ativa.
Será?"

Roberto J. Pugliese
editor
www.puglieseadvogados.com.br
Autor de Direito das Coisas, 2005, Leud.

domingo, 21 de outubro de 2018

PROGRAMA EXPRESSO VIDA Nº 07 - Rádio Transmar de Cananéia

A Rádio Transmar de Cananéia, em fm e através da rede mundial de computadores  levou ao ar o programa O Expresso Vida 07, cujo texto segue abaixo.

Todas as quartas feiras a partir das 10,30 horas A Rádio Transmar convida a todos ouvirem o Programa  Expresso Vida.


" Programa nº07- 

DISTINTOS OUVINTES, saúde, justiça e paz, eu sou Roberto José Pugliese, cidadão honorário de Cananéia, e o programa de hoje é dedicado a lembrança de Plínio Marcos, teatrólogo e escritor natural de Santos e irá abordar a situação de abandono que se encontram áreas do centro urbano.

É muito triste denunciar a situação de abandono que se constada no centro da cidade, com áreas pertencentes a municipalidade, simplesmente deterioradas e esquecidas.

Em fração de segundos posso arrolar algumas, a começar da Praça Júlio Mesquita, cuja reforma em nada a melhorou ou veio a embelezá-la e se quer dispor de melhores condições para a feirinha que acontece aos sábados. Posso lembrar-me da área ao lado, onde antes era o convento das freiras e após a sua demolição se transformou num terreno baldio, cheio de mato e peçonhentos. Também me lembro do Colégio Martim Afonso de Souza, exemplo da arte e arquitetura do início do século passado, que já abrigou o Paço Municipal e hoje se encontra caindo por falta de manutenção.

E o antigo Hotel da Fumest, o Hotel Glória Cananéia, que nos anos de 1980 viveu realmente tempo de glória e atualmente é um mastodonte enferrujado a espera de providencias? E o hotel municipal, interditado pelo Ministério Público por estar sem condições de habitabilidade?

Quanta sujeira reunida e a par disso, com lugares adequados para instalações da Prefeitura e da Câmara Municipal, em melhores condições, a sede municipal continua em prédio alugado, pagando aluguel aos seus proprietários sem oferecer o mínimo de condições para os funcionários e o público.

Que vergonha.

Sou de Cananéia por opção e reconhecimento da sociedade que me outorgou tão honrado título e não me conformo com o que vejo.  Uma cidade cujo patrimônio natural é tamanho que a ONU já decretou reserva da biosfera e o CONDEPHAT a tombou em razão do acervo histórico. É um município situado num arquipélago que assombra a todos pelas belezas naturais que a Divina Providencia nos brindou e, por má gestão das autoridades públicas responsáveis, por falta de empenho, ao invés de agirem dedicando cuidados a plástica erguida pela sociedade, apenas abandonam seus deveres, fazendo da cidade, que poderia ser um presépio, um centro urbano disforme e largado.

Concito a todos que amem a cidade, que gostem desse sítio maravilhoso, que tenham vocação pelo bem, que exijam das autoridades que cumpram suas obrigações. Que limpem os becos, as praças, as vias e intimem os proprietários de imóveis abandonados a tomar as providencias mínimas para que os prédios se apresentem em condições de serem apreciados por quem visita Cananeia. E óbvio, exijam, manifestem-se de modo público e concreto, para que os prédios públicos e os lugares públicos tenham condições mínimas de habitabilidade e de uso da população.

Denunciem ao Condephat, ao Ministério Público e exijam o direito de viver numa cidade apresentável minimamente para os próprios habitantes e seus convidados.

Obrigado. "

Roberto J. Pugliese
editor
www.puglieseadvogados.com.br
Autor de Direito das Coisas, Leud, 2005

sábado, 20 de outubro de 2018

REFLEXÃO

O Expresso Vida traz o texto muito bem escrito pelo pe. Paulo M. Ramalho, de São Paulo, para a reflexão dos leitores.

"Olá a todos!

Eis a ideia para vocês refletirem ao longo da semana: “uma pergunta fundamental: qual é a minha missão”.
(cfr. http://www.fecomvirtudes.com.br/uma-pergunta-fundamental-qual-e-minha-missao/)

Todos nós temos uma missão aqui na terra!!! Ninguém de nós nasceu por acaso. E essa missão só nós poderemos fazê-la. Ninguém poderá nos substituir.

Por isso, uma pergunta fundamental que todos nós devemos fazer é esta: qual é a minha missão? O que Deus quer de mim? Por que Ele me criou neste período da história, nesta cidade, nesta família etc?

As pessoas que vivem sem uma resposta a esta pergunta, vivem meio perdidas. Sem um rumo claro e definido. Suas vidas parecem mais uma colcha de retalhos do que outra coisa. Por outro lado, saber qual é a nossa missão nos enche de um sentido profundo a nossa vida e nos dá uma alegria que nenhum bem material pode nos dar.

Outra ideia importante é que através dela nós faremos coisas inimagináveis. Deus quer servir-se de nós para transformarmos vidas, para fazer o bem a muitas pessoas e que deste bem se desencadeiem muitos e muitos outros bens. Deus quer servir-se de nós para sermos o elo de uma corrente de bens. Deus quer servir-se de nós para sermos luz a muita gente, para que muita gente encontre o caminho do amor, da alegria e da paz. Deus quer servir-se de nós para confortar humana e espiritualmente tantas e tantas pessoas necessitadas neste mundo.

A primeira dica que dou para que possamos descobrir nossa missão é ter um tempo de oração e reflexão. Se deixarmos nossa vida ser levada numa correria frenética, dificilmente a descobriremos. Pelo menos que façamos esta oração: “Senhor, que queres de mim, que queres que eu faça aqui na terra?”.

A segunda dica é pensar que nossa missão se traduz, de modo concreto, em quatro missões e que se referem não a um futuro longínquo, mas ao dia de hoje ou nos próximos dias:

a) missão na família

Não é por acaso que Deus me colocou nesta família à qual pertenço. Eu tenho uma missão a desempenhar nesta família. O que Deus quer de mim nesta família? Qual o meu papel? Trazendo para o momento presente: qual é a minha missão nesta semana? Talvez seja falar com um irmão que está passando por uma situação difícil. Talvez seja dar atenção a uma prima que está no hospital. Talvez seja marcar um encontro com meu pai para conversarmos melhor e voltarmos a ter uma sintonia mais profunda.

b) missão no trabalho

Todos nós temos uma missão em nosso trabalho. Não é por acaso que estamos nele, que estamos ao lado de determinados colegas. O que Deus quer que eu faça no meu trabalho nesta semana? Converse com alguém, ajude alguém, dê um conselho a alguém?

c) missão com os amigos

Também não é por acaso que temos os amigos que fomos conhecendo ao longo da nossa vida. Por isso, eu posso perguntar: qual é a minha missão com meus amigos nesta semana? Quem está precisando de umas palavras de consolo? Quem está precisando de uma luz, de um conforto, de umas palavras de ânimo?

d) missão na sociedade

Esse é o quarto âmbito da nossa missão. Deus pede que façamos algo pela sociedade, pelas pessoas necessitadas. E cada um de nós tem um talento para algo, mais gosto e facilidade para algo concreto. Essa é uma missão muito importante. Não podemos ficar de braços cruzados vendo tantas pessoas necessitadas sem que haja quem as ajude.

Pensemos nesta grande verdade: Deus nos criou e tem uma missão para cada um de nós aqui na terra. Perguntemos a Ele, fazendo um pouco de silêncio, qual é a nossa missão. E, uma última dica, que no final do dia, depois de fazermos as nossas orações, pensemos um pouquinho nas quatro missões apontadas acima, usando talvez um bloco de notas ou o celular para fazer algumas anotações, para ver o que devemos fazer com relação a elas.

Uma semana abençoada a todos!
 
Padre Paulo M. Ramalho
falar.paulo@gmail.com 
......................................................."

Roberto J. Pugliese
editor
www.puglieseadvogados.com.br
Titular da cadeira nº 35 da Academia São José de Letras.

Mensagem Pastoral do Reverendíssimo Bispo de Registro, Sp

O Expresso Vida apresenta ao seus distinto leitores a mensagem do atual Reverendíssimo Bispo Diocesano de Registro, Don Maonel Ferreira de Santos Júnior. O texto é de elevada importância para os católicos apostólicos romanos do Vale do Ribeira pois revela o caminho que o pastor pretende trilhar  e conduzir suas ovelhas.

Vale a leitura.

"
Diocese de Registro
Carta de Dom Manoel ao povo de Deus da Diocese de Registro
Queridos(as) Irmãos(as) da Diocese de Registro
Tenho acompanhado com muita preocupação a situação de
 nosso país, em especial neste tempo de eleição. Nossa Diocese tem como marca a defesa dos pobres, desde a sua fundação. Os bispos anteriores (Dom Apparecido e Dom Bertanha), sempre estiveram atentos às necessidades dos que mais sofrem. Comigo não será diferente.
O Brasil é conhecido mundialmente como o país da tolerância e da hospitalidade. Porém, nestes últimos tempos os ânimos ficaram à flor da pele e vejo pessoas, que se dizem cristãs, agredindo outras, por pensarem diferentes. Parece que estamos nos esquecendo da prática do Evangelho, do amor e do perdão. Interesses pessoais estão emergindo. O que vale é o que eu penso e o que eu falo. Está desaparecendo a preocupação com o outro, ninguém quer escutar o que o outro está dizendo. Para o bem da humanidade, existem algumas práticas cristãs que não podem desaparecer. É preciso cultivar os gestos de fraternidades, solidariedade, perdão e caridade, que são profundos gestos cristãos. 
Por outro lado, vemos todos os candidatos a eleição, tanto estadual como federal, falando em nome de Deus. A pergunta que fica é; em qual Deus nós falamos e servimos? O Deus de Jesus Cristo (crucificado por amor, ou o deus idolátrico do mercado, que pede sacrifícios humanos e que mata milhares de pobres. 
Estamos perto das eleições do segundo turno. No primeiro turno tínhamos vários candidatos que representavam diversos aspectos dos interesses de nossa população. Agora temos apenas dois candidatos. Olhando seus programas de governo, percebo que nenhum deles se encaixa perfeitamente no sentido do Evangelho. Apesar desta constatação, não podemos nos omitir. Diante dos dois programas de governo, temos que buscar um que esteja mais perto do evangelho e do ensinamento da Igreja. Ou somos cristãos ou não somos cristãos. Ou somos católicos ou não somos. Não podemos falar que somos cristãos e católicos e fazer o contrário do Evangelho. Não podemos dizer que somos católicos e fazer o contrário do que a Igreja nos ensina e do que os documentos e os bispos nos orientam. 
Nós da Igreja Católica apenas indicamos as qualidades que os programas de governo devem ter, enquanto outras Igrejas apoiam abertamente os nomes dos candidatos. Penso que faz parte da liberdade de cada religião. Porém, não podemos também ser omissos e depois ficarmos chorando por não termos orientado melhor nosso povo. 
Existem causas que precisam ser assumidas pelas pessoas de fé, seguidoras de Jesus Cristo. Jesus assumiu a causa dos pobres, dos que sofrem, dos pecadores, dos marginalizados, porque queria resgatar a todos. Jesus sempre ensinou que o perdão deve superar o ódio, que a vida vale mais do que qualquer lei, que a violência é contra o evangelho. 
Penso que votar deve ser também uma atitude de fé. Por isso, quero deixar algumas perguntas para que rezemos antes de votar:
• O programa de meu candidato defende a vida em todos os seus aspectos?
• O programa de meu candidato defende os pobres e marginalizados? Em especial, quando se fala da Previdência Social, será que seu programa vai defender o aposentado pobre ou vai aprovar leis que levarão os pobres, a perderem seus direitos sociais?
• O programa de meu candidato defende a não violência e a formação de uma cultura de paz?
• O programa de meu candidato tem como parte mais importante a educação, para que nosso país saia do analfabetismo e outros males da falta de cultura? 
• O programa de meu candidato se compromete com a Igreja Católica na luta de vencer a pobreza, fortalecer a democracia, combater a corrupção e a defender do meio ambiente e a Amazônia? 
Você não precisa me responder. Guarde em seu coração e depois responda nas urnas. E depois de eleito, qualquer dos candidatos, vamos cobrar para que cumpra o prometido no seu programa de governo. 
Mais importante do que eleger alguém, é eleger um projeto que não esteja tão distante do Evangelho.
Registro, 17 de outubro de 2018. 
Memória de Santo Inácio de Antioquia, Mártir.
Servi ao Senhor com alegria!
+ Manoel Ferreira dos Santos Junior, MSC
Bispo Diocesano de Registro.
..........................................................................."


Roberto J. Pugliese
editor
www.puglieseadvogados.com.br
Cidadão honorário de Cananéia
( foi advogado por longos anos da Diocese de Registro )




 

Programa Expresso Vida - Rádio Transmar de Cananéia

A Rádio Transmar de Cananéia, em fm e através da rede mundial de computadores  levou ao ar o programa O Expresso Vida 06, cujo texto segue abaixo.

Todas as quartas feiras a partir das 10,30 horas A Rádio Transmar convida a todos ouvirem o Programa  Expresso Vida.

" Programa nº06- 

DISTINTOS OUVINTES, saúde, justiça e paz, eu sou Roberto José Pugliese, cidadão honorário de Cananéia, e o programa de hoje é dedicado a lembrança de Bartolomeu de Gusmão, conhecido por padre voador, nascido na cidade de Santos, e irá abordar a importância das artes plásticas.

 

Artistas de várias ideologias e escolas costumam se inspirar quando trabalham nas suas obras plásticas, em razão do lugar onde se encontram.

Lugares calmos, bucólicos, com a natureza pura em evidencia e paisagem peculiar servem para alguns pintores em especial promover as obras de arte a que se dedicam. E por isso e outros motivos o Vale do Ribeira é o sítio natural próprio para esses artesões do pincel.

E se o Vale do Ribeira é o sítio adequado para os pintores, sem dúvida, Cananéia se sobre-sai pelo acervo ilimitado de pontos para serem explorados pelas artes.

Basta um pouquinho de sensibilidade, e o por do sol atrás da Serra do Itapitangui, ou a aurora que surge com os primeiros raios iluminando o Mar de Cananéia, ou o Mar de Cubatão sendo palco de alguma canoa singrando a favor dos ventos ou isso ou aquilo ser o motivo para retratar aspectos especiais do rico quadro natural.

E são milhares de cantos e recantos que os artistas podem brindar suas telas retratando a orla, a raiz da serra, a zona rural, os ribeirões e as praias e manguezais espalhados pelo município. E na cidade, qualquer rua ou praça, com os casarios coloniais e históricos também são próprios para serem retratados.

Esse mote econômico não está sendo explorado. Pensem,  reflitam e vejam como as autoridades públicas da cidade não estão atentas. Incentivar a vinda desses artistas, promover concursos, estimular com premiações, em tempo de sol ou chuva, no inverno ou no verão, esses intelectuais do pincel movimentarão o comercio local, transitarão pelas ruas, navegarão pelos rios e canais, deixarão pegadas e dinheiro nas pousadas, restaurantes, bares, escunas, taxis, supermercado e com isso a Fazenda Pública Municipal arrecadará mais impostos e a cidade será vista e falada na terra desses artistas.

E não só os pintores podem ser incentivados. Os fotógrafos também têm espaço rico para suas lentes e a divulgação da cidade, do município no todo é a conseqüência.

Reflitam.

Chegou a hora e já é sem tempo que os departamentos de cultura e de turismo tem que acordar para a realidade local e ajudar a população dessa Estancia Balneária  a ter atividades outras, gerando melhores recursos econômicos e elevando, por conseqüência a qualidade de vida.

É importante somar a tudo isso que, trazendo essa gama de intelectuais das artes para a cidade, esses mesmos artistas e a imprensa cultural se encarregará de divulgar amplamente que turistas visitem Cananéia.

É uma bola de neve. Tem efeito dominó...

Enfim, o Expresso Vida concita a todos que cobrem das autoridades ações concretas no campo das artes plásticas e do turismo cultural.

Obrigado "
O Expresso Vida agradece a audiência e convida a todos a sintonizarem as ondas moduladas da Rádio Transmar para ouvir na próxima quarta feira mais um programa.
 
Roberto J. Pugliese
editor
Cidadão Honorário de Cananéia

Homenagem ao SACY




O Expresso Vida aplaude e homenageia  o  SACy.

O dia 29 de Outubro é dedicado ao Sacy. O popular Sacy Pererê, do folclore brasileiro e que não é reconhecido pela juventude que opta mais em aplaudir as bruxas e outros personagens da cultura alienígena face a metralhadora informativa dos outros e o silencio dos nossos.

Em Florianópolis, na Esquina Democrática, em frente a Igreja São Francisco sempre, de alguns anos para este, a   Revista Pobres & NOjentas, tem promovido comemorações homenageando o Sacy.

O Expresso Vida aplaude a iniciativa, divulga e aguardo a comemoração.

O Expresso Vida  entende que a iniciativa deveria ser repetida por todos os cantos do país. Uma grande deformação cultural comemorar-se a festa popular norte americana que é O Dia das Bruxas e ninguém saber do Saci Perere.

Lamentável o que se dá com a cultura verdadeiramente brasileira, sempre submissa e colonizada pelas potencias estrangeiras.

Roberto J. Pugliese
editor
www.puglieseadvogados.com.br
Sócio efetivo do Instituto dos Advogados de Santa Catarina.
 

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

Guerra e Paz



O Expresso Vida apresenta texto do ilustrado advogado Sérgio Sérvulo da Cunha, brilhante causídico que representou a OAB no impedimento do então presidente Collor de Melo e já foi vice prefeito de Santos.

Boa leitura:

                                      " Guerra e paz 

Jânio Quadros era bizarro. Hoje é fácil ver isso, olhando na foto seu paletó com caspa, seus pés trocados, recordando sua retórica autoritária. Na época, não. Só tínhamos olhos para a sua vassourinha (“varre, varre, vassourinha; varre, varre a roubalheira; que o povo já está cansado; de sofrer dessa maneira”).

Eu era jovem, e votei nele. Mesmo não sendo testada a alternativa (o marechal Lott), posso dizer que errei feio. Com sua megalomania, Jânio abriu as portas para o golpe de 1964.

Collor também era bizarro. Mas, antes da eleição, era impossível convencer, eleitor seu, a não cometer esse erro. Eles estavam hipnotizados pelo “caçador de marajás”, um homem de rompantes, que iria acabar com a inflação “com um tiro”. Um homem que “prendia e arrebentava”, dizia “duela a quem duela”, e iria mudar tudo. Acabou, sim, foi com as nossas poupanças (vi gente morrer, por causa disso). Collor não tinha ideias, mas, ao menos, comparecendo aos debates, permitia que avaliássemos seu despreparo.

Foram dois ingleses, que viveram no mesmo século, os inventores da soberania popular: Thomas Hobbes e John Locke. Talvez tenha sido, esse, o século mais agitado na vida da Inglaterra (o século XVII), quando foi morto e decapitado um rei (o rei Charles I), instaurou-se uma república tirânica com Oliver Cromwell, restaurou-se a monarquia, mas, alguns anos depois, o rei (Jaime II) foi deposto pela “revolução gloriosa”.

As pessoas estavam em pânico. Havia tradicionalmente, na política inglesa, dois partidos: o do rei (tories) e o do Parlamento (whigs). Hobbes era tory, e defendia a origem divina das prerrogativas reais.Dizia, por isso, que ao instituir a sociedade política e escolher o monarca, o povo renunciava a todos os seus direitos. Em outras palavras: Hobbes era absolutista. Para ele, não havia direito de oposição, e os divergentes podiam ser eliminados.

Locke, que era whig, é considerado o inventor da democracia moderna. Para ele, o povo (pela maioria) autorizava um órgão (o Legislativo) a fazer as leis. Esse órgão era, naturalmente, superior ao Executivo, a quem cabia executar as leis. A tarefa de ambos era realizar o bem comum, sob o controle da maioria. Nas mãos da maioria, portanto, estão o bem estar, a paz, a ordem e a felicidade de que se possa desfrutar em sociedade. O seu futuro. Se a maioria erra, sofrem todos.

Hoje, as democracias são constitucionais (o poder do Estado é limitado pela Constituição) e liberais (a Constituição protege a propriedade, a liberdade e as minorias). Se vivesse hoje, Hobbes diria que, sem Constituição, nós retroagiríamos ao Estado de natureza, que ele conceituava como a “guerra de todos contra todos”.

A sociedade é como o corpo humano. Só percebemos a utilidade de um órgão quando o perdemos, ou quando ele passa a funcionar mal.Por isso, meu amigo, quero terminar estas palavras fazendo a louvação da ordem e da paz: esse algo invisível, sem o que tudo o mais perece.
Sérgio Sérvulo da Cunha."
 
 
Roberto J. Pugliese
Editor
Sócio efetivo do Instituto dos Advogados de Santa Catarina.
 

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Regime democrático corre perigo.

Fumaça e Neblina: Talvez a ditadura esteja surgindo.

O Expresso Vida, na busca de entender e demonstrar o que está acontecendo nos bastidores da política, trouxe reportagem colhida da Revista Carta Capital, publicada no dia dos professores, 15 de Outubro de 2018.

O conteúdo integral está estampando no endereço eletrônico da referida revista.(  https://www.cartacapital.com.br/revista/1025/campanha-de-haddad-recebe-alerta-sobre-vigilancia-militar-pro-bolsonaro?utm_campaign=newsletter_rd_-_15102018&utm_medium=email&utm_source=RD+Station )

Em suma, o Expresso Vida pode colher que as principais peças do Comitê de Haddad tem sido monitoradas pela área de inteligência das Forças Armadas.

Segundo a reportagem, a espionagem estaria pelo general da reserva Sérgio Etchegoyen, com o objetivo de reunir informações para ajudar o capitão Bolsonaro a triunfar nas próximas eleições. O General é chefe do GSI que controla a ABIN.

O anti-petismo tomou conta do Exército e com o apoio das Forças Armadas, conforme a reportagem, o apoio ao candidato Bolsonaro, se alastrou e ajudou o povo sufragar quase o total de votos suficientes para se eleger no primeiro turno.

São muitos os militares que tem o apoio ao candidato capitão, cuja proposta é de extrema direita.

A reportagem faz referencia à queda da presidente Dilma e outros episódios, envolvendo inclusive o presidente do Supremo Tribunal Federal, que numa ação dinâmica em defesa das instituições convidou um general para assessora-lo na Corte.

Enfim, detalhes indicam o momento cruel e difícil que as instituições e o regime democrático está passando.

Roberto J. Pugliese
editor
www.puglieseadvogados.com.br
sócio fundador do Lions Clube Itanhaém Praia.

Roberto J. Pugliese

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

VALE DO RIBEIRA: repúdio !!!

O Expresso Vida apresenta a Nota assinada pelos povos e comunidades tradicionais do Vale do Ribeira.


 
 
Roberto J. Pugliese
editor
Autor de O Caminho das Ostras, Multifoco, 2017.


Medellin em gotas: linhas pastorais

 
VIVA NOSSA SENHORA APARECIDA !
 
O Expresso Vida apresenta em homenagem à Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, nesta data ecumênica de honra,  texto de luz subscrito pelo teólogo Marcos Sassatelli frade dominicano, extraído de linhas pastorais da reunião dos Bispos.
 
O texto, dirigido ao clero e aos povos latino americanos e caribenhos é fruto de estudos decorrente da teologia da libertação, hoje, mais do que nunca, indispensável para o desenvolvimento do Cristianismo.
 
Boa leitura e reflexão.
 

 

Diante da situação de antipaz (situação de injustiça e violência institucionalizada) em que vivem a América Latina e Caribe e diante da concepção cristã da paz que foi apresentada, os participantes da Conferência de Medellín (ainda no documento Paz afirmam: “cremos que o episcopado latino-americano (e caribenho) não pode deixar de assumir responsabilidades bem concretas, porque criar uma ordem social justa, sem a qual a paz é ilusória, é (reparem!) uma tarefa eminentemente cristã. A nós, pastores da Igreja, cumpre educar as consciências, inspirar, estimular e ajudar a orientar todas as iniciativas que contribuem para a formação do ser humano.

E ainda: “cumpre-nos também denunciar todos aqueles que ao irem contra a justiça, destroem a paz”.

Neste espírito - continuam os bispos - “cremos oportuno avançar as seguintes linhas pastorais”: 

1.    “Despertar nos seres humanos e nos povos, principalmente através dos meios de comunicação social, uma viva consciência da justiça, inspirando-lhes um sentido dinâmico de responsabilidade e solidariedade;

2.    Defender segundo o mandato evangélico o direito dos pobres e oprimidos, urgindo nossos governos e classes dirigentes que eliminem tudo quanto destrói a paz social: injustiça, inércia, venalidade, insensibilidade;

3.    Denunciar energicamente os abusos e as injustiças, consequências das desigualdades excessivas entre ricos e pobres, entre poderosos e fracos, favorecendo a integração;

4.    Fazer com que nossa pregação, catequese e liturgia tenham em conta (reparem novamente!) a dimensão social e comunitária do cristianismo, formando homens comprometidos na construção de um mundo de paz;

5.    Procurar que em nossos colégios, seminários e universidades se forme (reparem mais uma vez!) um sadio espírito crítico da situação social e se fomente a vocação do serviço. Consideramos ainda de grande eficácia as campanhas de nível diocesano e nacional que mobilizem a todos os fiéis e organizações levando-os a uma reflexão similar;

6.    Convidar também as diversas confissões e comunidades cristas e não-cristãs a colaborarem nesta fundamental tarefa de nossos tempos;

7.    Encorajar e favorecer todos os esforços do povo (reparem outra vez!) para criar e desenvolver suas próprias organizações de base, para a reivindicação e consolidação de seus direitos na busca de uma verdadeira justiça;

8.    Pedir o aperfeiçoamento da administração judicial cujas deficiências frequentemente causam sérios males;

9.    Empenhar-se para que em muitos de nossos países se detenha e reveja a atual política armamentista, que constitui às vezes uma carga excessivamente desproporcionada em face às legítimas exigências do bem comum, em detrimento de urgentes necessidades sociais. A luta contra a miséria é a verdadeira guerra que devem travar nossas nações;

10.    Convidar os bispos, os responsáveis das diversas confissões religiosas e as pessoas de boa vontade das nações desenvolvidas para que promovam nas suas respectivas esferas de influência, especialmente entre os dirigentes políticos e econômicos, uma consciência de maior solidariedade com as nossas nações subdesenvolvidas, fazendo com que sejam reconhecidos, entre outras coisas, preços justos para nossas matérias-primas;

11.    Por ocasião do vigésimo aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos (que completa 70 anos), interessar às universidades da América Latina na realização de investigações para se verificar sua aplicação em nossos países;

12.    Diante da ação injusta que, em escala mundial intentam as nações poderosas contra a autodeterminação dos povos fracos, que têm de sofrer os efeitos sangrentos da guerra e da invasão, denunciar o fato, pedindo aos organismos internacionais competentes, ação eficaz e decidida;

13.    Alentar e aplaudir as iniciativas e trabalhos de todos aqueles que nos diversos setores da ação contribuem para a criação de uma ordem nova que assegure a paz no seio de nossos povos”. 

Nestas linhas pastorais temos um verdadeiro plano de ação evangelizadora, que continua plenamente atual. São luzes para o trabalho da Igreja em favor da justiça e paz. 

Hoje, a Igreja deixa-se guiar por essas luzes? Cumpre sua missão profética de “denunciar todos aqueles que ao irem contra a justiça, destroem a paz”? De “defender segundo o mandato evangélico o direito dos pobres e oprimidos”? De “denunciar energicamente os abusos e as injustiças”? De “encorajar e favorecer todos os esforços do povo, para criar e desenvolver suas próprias organizações de base para a reivindicação e consolidação de seus direitos na busca de uma verdadeira justiça”? E de “denunciar a ação injusta que em escala mundial intentam as nações poderosas contra a autodeterminação dos povos fracos que têm de sofrer os efeitos sangrentos da guerra e da invasão”?

Enfim, o Concílio Vaticano II não diz que a Igreja “deve, a todo momento, perscrutar os sinais dos tempos e interpretá-los à luz do Evangelho”? Não diz que “deve conhecer e entender o mundo no qual vivemos, suas esperanças, suas aspirações e sua índole frequentemente dramática"? 

Meditemos.


Frei Marcos Sassatelli é frade dominicano e teólogo."

Roberto J. Pugliese
editor
www.puglieseadvogados.com.br
cidadão honorário da Estância de Cananéia, Sp.