domingo, 21 de outubro de 2018

PROGRAMA EXPRESSO VIDA Nº 07 - Rádio Transmar de Cananéia

A Rádio Transmar de Cananéia, em fm e através da rede mundial de computadores  levou ao ar o programa O Expresso Vida 07, cujo texto segue abaixo.

Todas as quartas feiras a partir das 10,30 horas A Rádio Transmar convida a todos ouvirem o Programa  Expresso Vida.


" Programa nº07- 

DISTINTOS OUVINTES, saúde, justiça e paz, eu sou Roberto José Pugliese, cidadão honorário de Cananéia, e o programa de hoje é dedicado a lembrança de Plínio Marcos, teatrólogo e escritor natural de Santos e irá abordar a situação de abandono que se encontram áreas do centro urbano.

É muito triste denunciar a situação de abandono que se constada no centro da cidade, com áreas pertencentes a municipalidade, simplesmente deterioradas e esquecidas.

Em fração de segundos posso arrolar algumas, a começar da Praça Júlio Mesquita, cuja reforma em nada a melhorou ou veio a embelezá-la e se quer dispor de melhores condições para a feirinha que acontece aos sábados. Posso lembrar-me da área ao lado, onde antes era o convento das freiras e após a sua demolição se transformou num terreno baldio, cheio de mato e peçonhentos. Também me lembro do Colégio Martim Afonso de Souza, exemplo da arte e arquitetura do início do século passado, que já abrigou o Paço Municipal e hoje se encontra caindo por falta de manutenção.

E o antigo Hotel da Fumest, o Hotel Glória Cananéia, que nos anos de 1980 viveu realmente tempo de glória e atualmente é um mastodonte enferrujado a espera de providencias? E o hotel municipal, interditado pelo Ministério Público por estar sem condições de habitabilidade?

Quanta sujeira reunida e a par disso, com lugares adequados para instalações da Prefeitura e da Câmara Municipal, em melhores condições, a sede municipal continua em prédio alugado, pagando aluguel aos seus proprietários sem oferecer o mínimo de condições para os funcionários e o público.

Que vergonha.

Sou de Cananéia por opção e reconhecimento da sociedade que me outorgou tão honrado título e não me conformo com o que vejo.  Uma cidade cujo patrimônio natural é tamanho que a ONU já decretou reserva da biosfera e o CONDEPHAT a tombou em razão do acervo histórico. É um município situado num arquipélago que assombra a todos pelas belezas naturais que a Divina Providencia nos brindou e, por má gestão das autoridades públicas responsáveis, por falta de empenho, ao invés de agirem dedicando cuidados a plástica erguida pela sociedade, apenas abandonam seus deveres, fazendo da cidade, que poderia ser um presépio, um centro urbano disforme e largado.

Concito a todos que amem a cidade, que gostem desse sítio maravilhoso, que tenham vocação pelo bem, que exijam das autoridades que cumpram suas obrigações. Que limpem os becos, as praças, as vias e intimem os proprietários de imóveis abandonados a tomar as providencias mínimas para que os prédios se apresentem em condições de serem apreciados por quem visita Cananeia. E óbvio, exijam, manifestem-se de modo público e concreto, para que os prédios públicos e os lugares públicos tenham condições mínimas de habitabilidade e de uso da população.

Denunciem ao Condephat, ao Ministério Público e exijam o direito de viver numa cidade apresentável minimamente para os próprios habitantes e seus convidados.

Obrigado. "

Roberto J. Pugliese
editor
www.puglieseadvogados.com.br
Autor de Direito das Coisas, Leud, 2005

Nenhum comentário:

Postar um comentário