sábado, 26 de dezembro de 2015

Paulo Berry, o poeta: Se arrependimento matasse.


O Expresso Vida publica a poesia de Paulo Berry
 

Se Arrependimento Matasse

 
Quem deixou de fazer

O que tinha vontade

PERDEU!

Ficou na saudade

 

Quem deixou de sorrir

Com vergonha de tudo

ENVELHECEU!

Ficou mudo

 

Quem deixou de viver

Por falta de coragem

MORREU!

Viveu de passagem

 

Quem deixou escapar

O sonho de infância

É TARDE!   Não dá pra buscar

Já se foi meu destino

Não sou mais um menino

 

É  .................   Prefiro me arrepender

De ter feito errado

JAMAIS!

Por não ter tentado.

 

Paulo Berri.  (do livro Sementes ao vento)

 
Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br
Titular da Cadeira nº35 da Academia São José de Letras
Cidadaão Cananeense.
 

 

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário