sexta-feira, 13 de março de 2015

Viver Rafaela.


Viver Rafaela.


( escrito em Novembro de 2014 )








Ela chegou.

Não sabe nada.

Não fala, não anda, não sabe nada do mundo.

 

Chora para comer.

Chora porque fez cocô.

Chora porque quer colo.Porque está frio ou porque está calor.

 

Mas está crescendo.

Ri, sorri e revela-se feliz quando está feliz.

Tem o seu charme particular.

 

São apenas três meses.

Não mais que três meses.

Seu tempo se perde no seu próprio tempo.

 

............................................................

 

Sem perceber já perambulava no cinza de Abril

Indagando ingênuo pelo porvir.

Sem reparar no sol do outono da vida vagarosamente se escondendo.

 

Quando

Na surdina do então,

Ela apareceu. O renasceu.

 

O sol pelo clarão de sua bem aventurança voltou a te esquentar.

 

................................................................

 

Pena que já sou e pouco me restam para o será.

Gostaria de viver Rafaela sempre.




 

Roberto J. Pugliese


Titular da Cadeira nº35 da Academia São José de Letras.

Um comentário: