sexta-feira, 3 de agosto de 2018

As crianças continuam encarceradas

Vergonha: O Brasil se omite e não busca a libertação dos menores brasileiros.

Quanta covardia.
Os brasileirinhos filhos daqueles que saíram do Brasil em busca de um futuro melhor, posto não estarem encontrando na própria terra natal, cujos pais foram presos, continua separados de seus familiares.
 
São crianças.
Juridicamente crianças no Brasil e nos Estados Unidos onde se encontram encarceradas. O governo local não as libera e o governo brasileiro apenas negocia.
 
Não tem negociação. São brasileirinhos inocentes. Acompanhavam os pais, a quem se submetem ao pátrio poder e não tinham alternativa. Estão encarcerados e as autoridades diplomáticas brasileiras apenas negociam.
 
Um governo autentico estaria agindo de madeira mais contundente e exigindo, perante a autoridade norte americana, a liberação e extradição desses menores de idades. Não tem acordo. Libertação já. Imediata das crianças.
 
Essas são vítimas. Vítimas de um país desorganizado, bagunçado e sem governo. Vítima de pais irresponsáveis. Vítimas das leis soberanas do país que as encarcerou.
 
Se é possível, talvez, discutir a liberação dos pais, em relação aos brasileirinhos a liberdade é exigência estribada na carta de direitos humanos editada pela ONU.
 
Nesse ano de eleições é preciso que os cidadãos que irão depositar seus votos nas urnas eletrônicas lembrem-se que as autoridades governamentais estão caladas e os candidatos idem.  Quem não zela pelas crianças compatriotas, não merece ser votado, se quer, para síndico de condomínio.
 
O Expresso Vida se envergonha do que ocorre.
 
Roberto J. Pugliese
Membro da Academia Itanhaense de Letras.
Membro da Academia Eldoradense de Letras.

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário