domingo, 23 de setembro de 2012

Partidos Politicos x ideologias políticas.


 PARTIDOS POLÍTICOS ESTADUAIS.

Não há como negar que atualmente o país vive crise ideológica. Partidos Políticos sem qualquer filosofia e prumo político ora se aliam a um, ora se aliam a outro e assim vai.

É sabido por todos que acompanham política partidária que o mesmo seguimento que em São Paulo se alia a determinada agremiação, no Paraná a repudia ou então, aquele Partido que está junto a outro em Salvador, em Feira de Santana, que é do lado, já são adversários, desmoralizando todo o contesto partidário, a ponto do eleitor votar em nomes de candidatos desprezando os Partidos que estão enfraquecidos.

Antes da Revolução de 1930, os Partidos Politicos não eram nacionais. Eram Partidos estaduais que, igual ao regime norte-americano, se organizam em determinado Estado, em vários ou em todos.

Vale dizer que o hipotético Partido Azul, por exemplo, organizado no Rio Grande do Sul, pode estar ou não organizado noutros Estados, como em apenas em algum outro ou não.

Vale dizer, seguindo o raciocínio, que esse Partido Azul, se não tiver estruturado em todo o território nacional, dificilmente poderá eleger um presidente da República.

No entanto, a estrutura partidária sendo legalmente livre para se organizar por Estados da Federação, fortalece o ideário político de seus criadores. Será Azul, no Rio Grande, quem for realmente Azul e, se essa idéia for forte, poderá se ampliar e permitir que o Partido Azul se organize em Santa Catarina, Bahia etc e tal.

Não será uma determinação biônica oficial que imporá que o Azul para existir tenha que estar organizado em pelo menos 9 Estados e outras exigências que nem sempre levam em consideração as peculiaridades locais, desvirtuando assim, o moto ideológico daqueles que idealizaram o hipotético Partido Azul.

Nesse norte, os Partidos serão realmente fortes, pois num Estado, poderão existir dois ou três Partidos realmente fortes organizados e tantos e tantos outros menos fortes, mas legitimamente representativos, que poderão estar ou não constituídos noutros Estados.

Não haverá, como hoje, essa miscelânea absurda em que o hipotético Partido Azul, no Rio Grande do Sul, não se coliga por entender que sua filosofia é pura e singular; em Goiás se coliga com o Amarelo e o Verde, adversários que disputam os mesmos espaços no Rio Grande e no Maranhão, se alia com o Roxo e se torna adversário daqueles que está ao seu lado em Goiás...

A proposta sugerida de se permitir que os Partidos possam ser criados no âmbito dos Estados, expandindo-se, admitirá o fortalecimento ideológico. Será mais democrático, como até então, antes do Getulismo autoritário assim impedisse que continuassem formando-se oficialmente com mais liberdade.

Enfim, em tempo de renovação do Legislativo Municipal, oExpresso Vida apresenta a idéia para ser bem discutida, refletida e levada as hostes do Congresso Nacional para quem sabe, aperfeiçoada vir a ser implantada. De um ou de outro modo, a democracia só será fortalecida se os Partidos Politicos estiverem fortes realmente. E jamais da forma como se apresentam atualmente.

Roberto J.Pugiese
www.pugliesegomes.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário