sábado, 29 de novembro de 2014

O sol nascerá. ( Para a Rafaela )


O sol nascerá !

 

De repente,

 

No caminho da vida, tão distraído, não percebera  que  borrado no vermelhão espalhado, o sol  descia taciturno em direção das últimas montanhas clareadas.

 

Para ele sobravam sombras antes do derradeiro final.

 

Um amarelo vermelho ou um vermelho amarelo revelava o fim daquele tempo. A existência estava à morte.

 

O  poente a espera do breu revelando o fim.

 

Era o fim chegando.

Passarinhos retornando aos seus ninhos na expectativa do amanhã.

Corujas aparecendo à espera da noite que avizinhara.

 

Noite da eterna inexistência.

 

Só ele não percebera que o fim se aproximara.

Nem sempre no outono da existência, existirá o amanhã.


Não percebia. Convivia inocente em direção ao fim. Perambulava.

 

(...)

 

Mas de repente,

Como se torpedeasse a sonolência  e o mórbido cinza do anoitecer,

surge radiante para o renascer, sem qualquer explicação, a luz para abrilhantar o seu caminho.

 

Nada mudara. O caminho era o mesmo de então. Para trás, o sol que no amanhã voltará nascer. Para frente, o breu que se aproxima.

 

Mas tudo mudou repentinamente.

 

Naquela tarde de Agosto, às vésperas do difícil sexagenário quinto inverno à atravessar sem rumo,

 

Num pessache batismal da última idade, forças inovadoras com o brilho daquela que veio para seduzir, num silencio autoexplicativo faz com que acorde.

 

Emudecido, brinda seco e emocionado.

 

(...)


Se até então tudo em nada mudaria, com ela, a viravolta se apresenta.

 

Viver  e  acompanhar. Seguir seus passos.

 

Viver para conviver e vê-la viver.

E agora com a luz de seus olhinhos espertos seguirá otimista o caminho consciente e desperto para os enfrentamentos. Rejuvenescido pelos seus encantos, nesse repente adquire as  forças esquecidas e seguirá acompanhando o sol, a luz e o porvir.

 

Seguirá pari-passo todos os passos da menina que surgiu.

Encantado, revive desperto o porvir.

No entusiasmo do outono seco, frio, acinzentado, sente o sol, o calor e a disposição que deixara antes.

 

Com a pequena Rafaela, o sol nascerá. Diariamente nasce radiante no alvorecer.

 

Roberto J. Pugliese

Nenhum comentário:

Postar um comentário