terça-feira, 5 de novembro de 2013

Um símbolo: 16 cervejas. ( memória nº 33)


Memória nº33
16 cervejas

 

Foi num sábado de sol em Joinville. Residiam em São Francisco do Sul e foram ao mercado municipal que aos sábados, desde as 11 horas até as 16 horas  se apresentava um conjunto que tocava samba e chorinho.

 

Acomodaram-se na apertada praça de alimentação, servidos por um dos dois restaurantes que estavam bem lotados, com as mesas cheias, pediram cervejas e taças de vinho. Ao som variado de tempos idos, foram degustando acepipes típicos apropriados para essas ocasiões.

 

Orlando é um bom copo. Lourenço quase idem. Talvez juntos, conversando, chegam a beber 7 ou 8 garrafas de cervejas. Não mais que isso numa tarde.

 

Ao pedirem a conta a surpresa: bolinho disso, pastelzinho daquilo, duas taças de vinho, talvez quatro... E  a bomba: 16 cervejas.

 

Chegaram ao meio dia e resolveram ir embora às 15 horas. Não havia condições para terem consumido tantas garrafas. Não tinham condições físicas, morais, espirituais para tal aventura.

( ......................... )

 

Aí então começou a confusão.

 

Reclama daqui. Reclama dali. Ofensa da garçonete. Discussão com o gerente... Ameaça de chamar a polícia e mais baixaria.

 

- Pode chamar a polícia. Não bebemos essa quantia e não vamos pagar. (...)

 

Meia hora depois, pagaram dez garrafas e o restante da conta, deixaram a comanda de despesas com o cheque no balcão e ameaçados pela garçonete que sugeriu um acidente na estrada de volta como praga, viraram às costas e retornaram para suas casas em São Francisco do Sul.

 

Não mais voltaram àquele bar... Quando voltaram ao mercado, noutras ocasiões, instalaram-se no bar vizinho.

 

Até hoje 16 cerveja se tornou um símbolo entre os amigos, que significa que não são beberrões.

 

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br
presidente da Comissão de Direito Notarial e Registros Públicos –OAB-Sc
Membro da Academia Eldoradense de Letras
Membro da Academia Itanhaense de Letras
Titular da Cadeira nº 35 – Academia São José de Letras
Autor de Terrenos de Marinha e seus Acrescidos, Letras Jurídicas
Autor de Direitos das Coisas, Leud

Nenhum comentário:

Postar um comentário