sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Haitianos fugitivos morrem no golfo do México.


Dezoito haitianos morrem após naufrágio em Turks e Caicos.

 

Um veleiro que transportava mais de 50 imigrantes que do Haiti seguiam para os Estados Unidos, naufragou e dezoito deles morreram afogados.

Trinta e dois haitianos foram retirados da água a cerca de 100 metros da Providenciales, ilha situada no arquipélago Turks e Caicos, segundo a guarda costeira dos Estados Unidos. Os sobreviventes estão em um centro de detenção de imigrantes em Turks e Caicos.

A miséria do terceiro mundo e a opulência e riqueza do primeiro mundo faz com que miseráveis arrisquem a vida em busca da dignidade. Mínima dignidade ignorada pelos neo liberais.

O Expresso Vida conclama as pessoas de bem meditarem a respeito da desumanidade que impera. A exploração econômica dos povos no século XXI como outrora, desde que o mundo existe, sempre prevaleceu, e continua com a aquiescência dos organismos internacionais e os países soberanos. Inclusive o Brasil.

Chegou a hora de mudanças.

Roberto J. Pugliese
Presidente da Comissão de Direito Notarial e Registros Públicos –OAB-Sc
Membro da Academia Eldoradense de Letras
Membro da Academia Itanhaense de Letras
Titular da Cadeira nº 35 – Academia São José de Letras
Autor de Terrenos de Marinha e seus Acrescidos, Letras Jurídicas
Autor de Direitos das Coisas, Leud
Sócio do Instituto dos Advogados  de Santa Catarina

( Fonte: Reuters )

2 comentários:

  1. Caro Roberto

    Como existem pessoas desinformadas neste mundo. Que opulência e riqueza haitianos foram procurar se, todos os países de 1º Mundo, agora que estão começando a respirar, ainda com balão de oxigênio, depois da Crise Mundial de 2008?

    ResponderExcluir
  2. Prezada Marisa,
    Agradeço a presença e o comentário.

    Será uma grande honra nos acompanhar.

    Quanto ao V. entendimento, creio que por pior que esteja a situação econômica no primeiro mundo estará bem melhor que nos países latinos, africanos e asiáticos, salvo exceções.

    Enfim, preferível passar fome no Acre, por onde estão chegando os imigrantes haitianos no Brasil, do que por lá...

    Abraços, feliz ano novo

    Roberto

    ResponderExcluir