quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

I centenário da Ponte Pensil - Parabéns.


Parabéns: 1º centenário da Ponte Pênsil de São Vicente.



Não é a primeira vez que o Expresso Vida escreve a respeito da Ponte Pênsil de Sâo Vicente, Estado de São Paulo. E provavelmente não será a última, pois a velha ponte, remoçada pelas constantes obras para sua manutenção e reformas já realizadas é um exemplo para todo o mundo.

Assim, antecipando-se ao aniversário de seus cem anos, que se dará no próximo dia 21 de maio, fica patente e público a saudação efusiva parabenizando a obra, o poder público responsável e todo o povo que dela faz uso.

A obra começou a ser planejada em 1910, pelo engenheiro sanitarista SATURNINO DE BRITO com o objetivo de promover o escoamento das águas e evitar a propagação de doenças. A necessidade de conduzir os dejetos até a ponta do Morro do Itaipu levou o sanitarista a planejar a construção de uma ponte sobre o Mar Pequeno, em São Vicente, entre os morros dos Barbosas e Japuí.

A passagem facilitaria inclusive o acesso à Fortaleza de Itaipu, na área continental do município, até então de difícil comunicação. A edificação é exemplo da capacidade da engenharia brasileira, quer por sua aparência monumental ou por sua comprovada solidez.
Sem dúvidas um dos principais monumentos históricos do Brasil.

A velha ponte ainda conserva vários materiais originais, trazidos de Dortmund, na Alemanha, para sua construção, como os cabos de aço que sustentam sua gigantesca estrutura. As velha ligação, tombada pelo Condephaat, suporta até 60 toneladas e, em 1994, quando completou 80 anos, ganhou um sistema de iluminação que a destaca à noite no cenário vicentino. A iluminação é idêntica a de outras pontes famosas como a Golden Gate, em São Francisco, nos Estados Unidos, e a Hercílio Luz em Florianópolis. Sua reforma em 1999, garantiu a velha senhora, "vitalidade" para a virada do século.
As torres, às quais estão ligados os cabos de aço, medem 23 metros de altura inclusive 8 metros que se acham enterrados em concreto sobre o solo. Os cabos sustentadores do tabuleiro são em número de 16 com comprimento de 286 metros. Desses cabos, 12 pesam 6 toneladas cada um, e 4 atingem a 10 toneladas de peso cada.

Sua vista aérea é de uma beleza incomensurável e atualmente ganhou uma aliada para compor o cenário Vicentino: a Bandeira Nacional no Morro dos Barbosas.
Enquanto se comemora o centenário dessa obra arquitetônica, em Florianópolis, a ponte Hercílio Luz continua interditada e com obras intermináveis. Mostrando claramente porque um lugar é atrasado e confuso e outro dinâmico e organizado.

Quem tiver curiosidade pode ler nos endereços abaixo outros textos a respeito da maravilhosa obra de arte, anteriormente publicados no Expresso Vida, que ressaltam a sua importância.


 
Parabéns !

 

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br
Membro da Academia Eldoradense de Letras
Membro da Academia Itanhaense de Letras
Titular da Cadeira nº 35 – Academia São José de Letras

 ( Fonte Blog Caiçara com )

Nenhum comentário:

Postar um comentário