sábado, 19 de janeiro de 2013

CONHEÇA O LITORAL NORTE PARANAENSE !

ILHA DAS PEÇAS, Guarakessaba, Pr.

A vila das Peças, segundo relato histórico da memória de velhos moradores da ilha, teve seu surgimento por volta de meados de 1700, quando o comércio de escravo na baia de Guaraqueçaba começou a decair até se extinguir por completo.

A população ilha culturalmente sofreu influencia muito forte dos indígenas da região do Lagamar e de escravos. Aliás decorre do comércio escravocrata proibido o nome Ilha das Peças, pois peças eram os negros que contrabandeados eram entregues por lá, dada a proibição de aportarem com a carga nos portos maiores da região.

Na ilha foram encontradas peças que serviram para aprisionar os negros entregues, como bolas de ferro, correntes e outros artefatos que serviam para que não fugissem.

A Ilha das Peças, no litoral norte paranaense, próximo a Ilha do Cardoso, já no litoral paulista, se encontram Guarituba e Ponta do Indaiaieiro, pequenas comunidades que constituem a Vila das Peças, que integra o município de Guaraqueçaba, outrora com a grafia adotada no titulo desse texto.

A agricultura, a caça, a exploração de madeira, a pesca e o comércio fizeram parte da história dos habitantes da ilha. Atualmente a principal atividade é a pesca, além da prestação de serviços. O turismo, artesanato a maricultura também aparecem no cenário atual. São cerca de 350 pessoas espalhadas pelas pequenas comunidades da ilha, onde há escola municipal e escola estadual  e  diferentes igrejas.

A energia elétrica distribuição e distribuição de água  vêm da região de Poruquara, na área continental do municipio.

A ilha integra o Parque Nacional de Superagui, muito mal gerenciado e em completo abandono.

Segundo os historiadores do Paraná, foi em Guarakessaba, mais precisamente, na ilha das Peças que a civilização do Estado surgiu, com a presença dos primeiros colonizadores.

O Expresso Vida recomenda a visita a região, que integra o Lagamar cujo inicio é em Iguape, passa por Ilha Comprida, Cananeia, atravessa Guaraqueçaba e atinge a baia de Paranaguá, cuja fauna marítima e terrestre é bem pitoresca e diferenciada, com famílias de botos cinza. Aves e animais silvestres também são incluídos na população, com destaque para o jacaré de papo amarelo e o papagaio de cara roxa entre outros.

A vegetação  típica de mata atlântica dá o toque final do encantamento.

Em oportunidade outra o Expresso Vida já se referiu a esse santuário ecológico, desconhecido e perdido na costa litorânea entre o litoral paulista e paranense. ( http://vidaexpressovida.blogspot.com.br/2012/01/ilha-das-pecas-berco-da-natureza-e-do.html )

São cinco baias que constituem o estuário: Paranágua, Antonina, Laranjeiras, Pinheiro e Itupeva, ainda preservardos e que integram a reserva da biosfera, decretado pela Unesco.

Enfim, vai a recomendação: Visitem as baias, praias, manguezais, entrâncias, costões e toda o patrimônio natural da costa litorânea norte do Estado do Paraná.

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br
Autor de Direito das Coisas, Leud
Membro da Academia Itanhaense de Letras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário