sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Br 101 - Rodovia Mário Covas

Rodovia interrompida em São Paulo e Paraná. -


A BR-110 liga o Brasil pelo litoral cortando 12 estados de Touros (RN) até São José do Norte (RS), mas é interrompida no Paraná. O anúncio da retomada do projeto veio junto com a informação de que os novos irmãos que comandam a logística no Estado, Beto e José Richa Filho, estavam enterrando de vez o projeto da Rodovia Interportos e da ponte de Guaratuba.

A gigantesca obra lançada por Pessuti faria a ligação entre os portos catarinenses de São Francisco e Itapoá até Paranaguá e Antonina. Também ligaria a BR-101 em Santa Catarina até a BR 116 na divisa de São Paulo.

No trajeto, a duplicação da PR 412 entre Garuva (SC) e Guaratuba, uma ponte sobre a baía de Guaratuba, um túnel entre Guaratuba e a Rodovia Alexandra Matinhos (PR-508), uma nova ligação entre Matinhos e Pontal do Paraná, uma rodovia paralela à PR-412 em Pontal até o porto, ligação da BR-277 a Antonina, estradas elevadas até a divisa de São Paulo etc.Os gestores de Pessuti chegaram a produzir belos desenhos em computação gráfica e lançaram editais que previam investimentos de quase R$ 27 milhões só nos projetos ambientais e de engenharia. A licitação foi congelada pela Justiça e acabou sepultada pelos irmãos Richa.

Nesta semana, segundo reportagem da jornalista Joyce Carvalho, do jornal eletrônico Paraná Online, técnicos do DER (Departamento de Estadas de Rodagem) e do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), devem se reunir para discutr a BR-101.

Estudos existem

Diferente do que aconteceu por vários governos no Paraná, o Dnit nunca abandonou a intenção de construir a BR-101. Um dos projetos previa um trecho rodoviário de 120 quilômetros e um custo de R$ 600 milhões. Implicações ambientais levaram os técnicos do governo federal a anunciar que o custo seria muito maior. Um dos projetos da 101 prevê seu início na área rural de Guaratuba, na divisa com Garuva (SC), utilizando o traçado da Estrada Geral do Cubatão (23 Km), um contorno da baía de Guaratuba (23 Km) até a PR-508 (21 Km), uma paralela à BR-277 (10 Km), a abertura de uma ligação da 277 até Antonina (12 Km), a readequação da estrada Antonina-Cachoeira (38 Km) e abertura de uma estrada de Cachoeira até Alpino (12 KM) até a BR-116.

O projeto faz parte do Plano Estadual de Logística e Transporte do Paraná elaborado pelo Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Paraná, Federação das Indústrias do Estado do Paraná, Instituto de Engenharia do Paraná e Sindicato da Indústria da Construção Pesada do Estado do Paraná.

Observa-se pela reportagem, que a ligação de Antonina até Guaraqueçaba, PR e de Guaraqueçaba até Cananéia, interrompidos, não estão nos planos.

Assim, por enquanto, a Rodovia Mário Covas ( integrante do Conselho Editorial do Blog ) não tem previsão de atender a esses municipios, nos aludidos Estados.

Roberto J. Pugliese

Nenhum comentário:

Postar um comentário