segunda-feira, 12 de março de 2012

Apelo de ajuda na Quaresma - Vamos meditar e ajudar.

A leitura e a reflexão é muito importante. Atentem-se!


São Paulo, Quaresma de 2012

Querido(a) amigo(a),

Todos os anos –
e já são mais de 20 – promovo esta Campanha de Quaresma em benefício de uma obra
social que conheço, acompanho e na qual confio.

Este ano a escolhida é o Centro Cultural da Favela de Vila Prudente, na
capital paulista. A favela abriga 2 mil famílias – ao todo, cerca de 10 mil
pessoas. Muitas crianças e jovens. Ao percorrer a favela, por becos e vielas,
avistei a barreira humana formada pelo pessoal do narcotráfico, que em plena
tarde de uma sexta-feira exibia armas.

Ali trabalha, há 35 anos, o padre Patrick Clarke, irlandês. Há uma
comunidade de quatro religiosas, que moram na favela, e um grupo de leigos que
atuam nos trabalhos pastorais e sociais.

No Centro Cultural, 80 crianças e jovens, de 7 a 17 anos,
seguem cursos de artes plásticas (mosaicos, desenho, colagem, pintura de ícones,
confecção de quadros e postais); artes marciais (caratê, judô e capoeira) e
cênicas (inclusive teatro); vídeo, música (percussão, violão, canto e coral); e
computação (há uma sala com 12 computadores).

O Centro está interessado em receber doação de peças de cerâmica, às
quais os alunos das oficinas possam imprimir valor agregado com suas criações
artísticas.

Oito jovens da favela têm seus estudos bancados pelo
Centro.

Fiquei encantado com a oficina de artes sacras e, mais ainda, com a
capela de São José Operário, em plena favela, toda ornada com belos mosaicos
confeccionados no Centro Cultural. Construída pela comunidade, a capela foi
inaugurada há dois anos.

Trata-se de um trabalho preventivo, para evitar que os jovens caíam na
marginalidade. Um dos principais problemas da favela é a compressão humana, com
os barracos praticamente amontoados uns sobre os outros, sem nenhum espaço no
qual os jovens possam descarregar sua agressividade.

Há ainda no Centro um programa de Psicoterapia Infantil, de Adulto e
Aconselhamento às Famílias.

O Centro conta com 15 educadores remunerados. A experiência com
voluntários não funcionou, por falta de assiduidade dos candidatos.

A favela fica defronte ao Viaduto Grande São Paulo. Debaixo dele funciona
o Projeto Recicla Favela, que agrega 25 famílias de catadores de material
reciclável, todas cooperativadas. Ali funciona o depósito do material coletado
em lojas do shopping Mooca Plaza e em empresas da região. Os catadores separam o
material e vendem para empresas de reciclagem.

Em dezembro do ano passado, coletaram no shopping 40 toneladas de
papelão... E só não coletaram mais por falta de espaço no depósito sob o
viaduto. O sonho deles é alugar um galpão próximo à favela. Porém, os donos se
recusam a “alugar para guardar lixo”...

Os cooperados arrecadam, por mês, uma média de R$ 900 reais para cada
família.

Muito mais poderia ser feito se o Centro Cultural dispusesse de recursos.
Portanto, venho convidá-lo a, nesta Quaresma, “jejuar” ainda que seja R$ 1 do
seu orçamento, e destiná-lo a este trabalho social. Em vez de adotar antigos
procedimentos que perderam seu significado – como os cristãos deixarem de comer
carne na sexta-feira santa (e se empanturrarem de frutos do mar...) – melhor
destinar recursos a quem investe em atividades não assistencialistas com
crianças e jovens de favela.

A conta bancária é: CNPJ
54.636.022/0001-71 (Movimento de Defesa do Favelado Região Episcopal
Belém).
Bradesco -
Agência 1362-5
C/C
33321-2
Email
para informações, e aviso e solicitação de recibo: mdfsp@uol.com.br

Maiores informações pelo blog: http:¤ ¤centroculturalvilaprudente.blogspot.com
www.mdf.org.br

Minha gratidão e meu abraço amigo de Feliz
Páscoa!

Frei Betto

Nenhum comentário:

Postar um comentário