domingo, 11 de março de 2012

Campinas em crise grave -

No próximo dia 10 de abril, por uma decisão perigosa adotada por apenas 4 votos a 3 no Tribunal Regional Eleitoral, Campinas terá – de forma tristemente inédita – a primeira eleição indireta de sua história.

"Em jogo, quem comandará a cidade no processo eleitoral de 2012, o legítimo, o de outubro, em eleições diretas, como candidato à reeleição, confortavelmente instalado no 4º andar do Palácio dos Jequitibás"

A Câmara Municipal de Campinas escolherá, pelo voto indireto de seus membros, o candidato que completará o que vem sendo chamado pela mídia de ‘mandato-tampão’ de Prefeito, em virtude da cassação pela mesma Câmara do prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT) e de seu sucessor, Demétrio Vilagra (PT).

O orçamento campineiro é de 3,5 bilhões de reais .

O prefeito de uma das mais importantes cidades do país, tem a sua frente relações muito importante que traz efeitos sociais e economicos de repercursão para o Estado de São Paulo e para o Brasil.

Importante que no processo eleitoral que se avizinha, os eleitores votem consciente e elejam quem pretende com denodo administrar a cidade pensando no bem comum.

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário