quarta-feira, 21 de março de 2012

General dá banho democrático em auditório conservador

General
assegura: ditadura militar, “nunca mais "

Em palestra perante um auditório
de extrema direita e de dirigentes da TFP, o comandante militar do Sudeste,
general Adhemar da Costa Machado Filho afasta a possibilidade de intervenção
militar para barrar o desenvolvimento democrático.
O General
afirmou: Ditadura nunca mais.
A afirmação do general confirma o
profissionalismo e o espírito cívico e constitucionalista que prevalece entre
os oficiais das Forças Armadas, desautorizando as vozes saudosas da ditadura
militar que se manifestam (em documentos assinados inclusive por oficiais
acusados de tortura) contra a apuração dos crimes cometidos pela repressão
durante os governos militares de 1964 a 1985.

A palestra foi promovida em São Paulo pelo Instituto Plínio Corrêa de Oli veira, que reúne uma parcela considerável da organização ultradireitista Tradição Família e Propriedade.
Entre as 200 pessoas que ouviram o general estavam altos dirigentes daquela
entidade reacionária, como o príncipe d. Bertrand de Orleans e Bragança (que se
apresenta como herdeiro da monarquia brasileira), e o empresário Adolpho
Lindenberg, presidente do instituto.

Enquanto aquele comandante
enfatizou questões como o profissionalismo dos militares e a modernização das
Forças Armadas, o objetivo de seus ouvintes conservadores era outro, claramente
político. Como no passado, a extrema direita mantém a esperança de uma
intervenção dos militares num quadro político em que a influência conservadora
é declinante.

A plateia direitista ouviu o que não quis. A frase do general foi provocada por
um bilhete vindo da plateia, que dizia: "O que mais tenho ouvido é elogio
ao período militar, em comparação com a situação atual. Urge uma intervenção.

Caso contrário seguiremos nessa senda nefasta em direção à ditadura da qual nos
livramos em 1964."
O Militar asseverou que não voltam nunca
mais.

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br
( colaboração Renap - rede nacional de advogados populares )

Nenhum comentário:

Postar um comentário