domingo, 16 de março de 2014

Homenagem aos que enfrentaram o golpe.


ANIVERSÁRIO DO GOLPE.

 

O Expresso Vida transcreve os agradecimentos escritos por Pedro Tierra, homenageando alguns heróis da história recente do país.

 


A vida

passada a limpo1

Hamilton Pereira (Pedro Tierra)2

 

Os nomes. Muitos nomes trago comigo. Impressos na acidentada

cartografia que percorri. Impressos na pele, na alma. Os companheiros

todos, dos anos de chumbo (Carlos Marighella, Luiz José

da Cunha, Yuri Xavier Pereira, Alexandre Vannucchi Leme, Ana

Maria Ncionovic, Aurora Furtado, Gastone Beltrão Antonio Carlos

Bicalho Lana, José Porfírio, Geraldo Marques, Alaor Figueiredo,

Honestino Guimarães, tantos...) e da árdua construção da sociedade

democrática que conduzimos há 30 anos, Lula, José Dirceu, José

Genoino – a quem, juntamente com outros companheiros, recebi

com 40o de febre provocada pela malária retornando de uma sala de

tortura no PI C (Pelotão de Investigações Criminais) – Setor Militar

Urbano, em Brasília, em 1972 –, Chico Mendes, Nativo da Natividade,

Adão Preto, Margarida Alves, Dorcelina Folador, Josimo Tavares,

Sebastião Rosa da Paz...

 

 

Os que me acolheram na reconstrução da vida e dos laços com minha

gente: Tomás Balduíno, Pedro Casaldáliga, José Maria Pires, Cândido Padim,

Moacir Grecchi, José Gomes, Hélder Câmara, Paulo Evaristo, Ivo Lorsheiter,

Aloísio Lorscheider, Luciano Mendes, Valdir Calheiros, Antônio Fragoso,

Fernando Gomes, José Brandão, José Rodrigues, Alano Pena, Celso Pereira,

Renzo Rossi, penso que em quinhentos anos de história a Igreja Católica não

havia produzido no Brasil uma geração brilhante de bispos tão profundamente

comprometidos com as esperanças dos oprimidos. Eles dialogaram com o

continente por meio das formulações da Teologia da Libertação com seus irmãos

Gustavo Gutierrez (Lima, Peru), Leônidas Proaño (Riobamba, Equador),

Silva Henriquez (Santiago do Chile), Mendez Arceo (Cuernavaca, México),

Oscar Arnulfo Romero (El Salvador)...

 

 

Os que me ensinaram a voz e a palavra com que hoje me dirijo a vocês:

Drummond, Bandeira, Cabral, Vinicius, Guimarães Rosa, Cecília Meireles,

Adélia, Murilo Mendes, Patativa do Assaré, Quintana, Acenso Ferreira, Octávio

Paz, Ruben Dario, José Marti, Arguedas, Scorza, Garcia Marquez, Benedetti,

Carpentier, Vallejo, Icaza, Neruda, Victor Jara, Sábato, Cortázar, Borges,

Alberti, Lorca, René Char, Jaime Pintor, Whitmann, tantos...

 

 

Os que me amaram: Sabino e Ana, os pais, Ana Terra, Alexandre, Francisco

e sua mãe, Maria Cristina. Os irmãos e irmãs, os que estão aqui e os que

já não estão aqui.

Os amigos, tantos que vieram aqui trazer o abraço.

Minha companheira Juliana, que há dez anos partilha comigo o amor e

as atribulações desta vida de poeta e militante e Sophia, que apenas amanhece... “

 

O Expresso Vida no âmbito de sua modesta divulgação não se cala e sempre mostrará para todos  a versão histórica e real do golpe dos militares orientados pelos imperialistas estadosunidenses que impôs ao Brasil a violência física, jurídica, econômica, política, social e todas as mazelas que até hoje nos persegue.

Roberto J. Pugliese
presidente da Comissão de Direito Notarial e Registros Públicos.
OAB-Sc

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário