segunda-feira, 24 de março de 2014

Ribeira: o rio em perigo.


Paraná e São Paulo unidos para captar água do Ribeira.
 
 
O rio Ribeira nasce nas proximidades da Região Metropolitana de Curitiba e sua bacia hidrográfica alcança  a Região Metropolitana de São Paulo e assim é, sem qualquer dúvida, presa fácil para ter seu potencial hidráulico explorado para produção de energia elétrica e captação de suas águas.
 
Esse perigo existe. Sempre existiu e de quando em vez alguém se lembra dessas condições quando há necessidade de construção de mais uma usina ou há falta de água nas referidas metrópoles.
 
Agora, recentemente, a Sanepar, mandou uma representante para Registro que expos como pretende utilizar as águas da Bacia do Alto Ribeira, visando atender os municípios de Cerro Azul e Adrianópolis e, no futuro, o sistema integrado responsável pelo abastecimento dos moradores de Curitiba e Região Metropolitana.
 
No Paraná, 15 municípios integram a Bacia. São eles: Adrianópolis, Almirante Tamandaré, Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Campo Magro, Castro, Cerro Azul, Colombo, Itaperuçu, Palmeira, Ponta Grossa, Quatro Barras, Rio Branco do Sul e Tunas do Paraná. No Estado de São Paulo a bacia é maior e abrange mais municípios.
 
Juliana Seixas Pilotto, engenheira da empresa paranaense durante o Seminário Articulação entre os Comitês de Bacia do Rio Ribeira (SP/PR) revelou assim os projetos já existentes e o interesse dessa execução.
 
Nesse seminário estiveram presentes também representantes da USP, do Instituto Águas do Paraná, Programa Vale do Ribeira, Instituto Socioambiental, Iphan no Estado de São Paulo e Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos.
 
Interessante a ausência de Senadores, Deputados Federais e Estaduais, vereadores e prefeitos dos municípios da bacia para falarem em nome do povo da região.
 
O povo, o homem do Ribeira não foi ouvido. Nem convidado. As instituições de ensino superior com sede em Registro principalmente e no Vale do Ribeira foram ignoradas.
 
Sempre é bom lembrar que o Ribeira é um rio federal e que atravessa uma região pitoresca e que geofisicamente, culturalmente e sócio históricamente tem peculiaridades únicas que poderia se transformar numa nova unidade política, desmembrando-se dos Estados do Paraná e São Paulo, indo assim, ao encontro do interesses da população local, bastante desprestigiada e esquecida pelos Estados na qual se encontram.
 
Uma região com características próprias que deveria constituir-se em Estado com autonomia, integrando a União Federal, por ter condições hábeis superiores ao Acre, ao Amapá e a Roraima.
 
O Expresso Vida fica atento e divulga a noticia pois a captação de água do Rio Ribeira ou seus afluentes provocará caos ecológico de proporções inimagináveis para toda a sociedade local. E toda a região será afetada e sofrerá, desde as cabeceiras, até sua foz; desde as cabeceiras dos rios tributários até o encontro dessas águas com o Ribeira.
 
Creio que só resta rezar.

 

 Roberto J. Pugliese
Membro da Academia Eldoradense de Letras
Membro da Academia Itanhaense de Letras
Titular da Cadeira nº 35 – Academia São José de Letras

Nenhum comentário:

Postar um comentário