domingo, 8 de dezembro de 2013

Meu voto tem preço.





Cinco bi: - O preço justo do meu voto.





A presidente Dilma esteve em Santa Catarina e anunciou diversos investimentos federais no Estado, no montante de 5 bilhões, destacando entre outras obras, a duplicação da BR280, a rodovia federal que parte do porto de São Francisco do Sul e segue em direção a oeste até a fronteira com a Argentina.

 

Irá duplicar o trecho entre Jaraguá do Sul e São Francisco do Sul, onde trafegam em média 7 mil veículos por dia. Nem chega à tanto. As vezes, nos feriados, a estrada entope. Noutras ocasiões durante safra, a estrada entope e assim, o governo federal irá investir e construir a rodovia para desentupir o transito do catarinense.

 

No Brasil todo, nos feriados, há congestionamentos já previsíveis. Na época de exportação da safra de soja, café, milho... também. No Brasil, no terceiro mundo, na América latina... em todo lugar.

 

Sou contra essa obra de quase um bilhão de reais. Sou contra.

 

Absurdo mais dinheiro para um Estado rico, laborioso e que vive de esmolas. Sempre pedindo dinheiro para a União, esquecendo-se que outros lugares do mesmo país precisam tanto ou muito mais. Vergonhoso.

 

Não vou arrolar as necessidades de todos que precisam. Nem as necessidades paulistas e paulistanas, mas vou lembrar que na região metropolitana da maior cidade das Américas, no trecho que começa a partir do pedágio situado no município de Itapecerica da Serra, próximo ao viaduto que atravessa a ferrovia Sorocabana, a rodovia Regis Bittencourt, BR116, a Estrada da Morte, precisa de mais faixas de rolamentos.

 

Lá a necessidade é premente e histórica.

 

A partir daí, até São Paulo, distante aproximadamente 30 km, é necessário construir 3 ou 4 faixas em cada direção, além das duas que já existem. Nesse trecho, o tráfego diário varia de 40 mil veículos nas proximidades do pedágio a mais de cem mil, a partir de Taboão da Serra em direção a Capital.

 

Todo dia cem mil veículos circulam pela BR116 nas imediações de São Paulo, provocando congestionamentos espetaculares. A avenida Francisco Moroto, na entrada da cidade precisa ser reurbanizada. Ter seis vias de acesso em cada direção, viadutos e uma porção de melhorias, mas não há dinheiro.

 

Federal, estadual, municipal, a BR116 e a avenida Francisco Morato precisam de muita grana para melhorar o fluxo de veículos. Não os sete mil que trafegam na BR 280, mas os cem mil automóveis, motos, caminhões, carretas etc, etc, etc...

 

E a estrada é federal. E o Estado não pode mexer. E se pudesse, também não teria dinheiro para investir.

 

Mas a Dilma, a presidenta do Brasil, que não dá importância para o Estado que banca a farra financeira da União, seguindo a cartilha tradicional de sempre esquecer São Paulo, prefere atender a população de 40 mil habitantes de São Francisco do Sul, em detrimento a congestionamentos constantes e intermináveis que prejudicam inclusive o povo laborioso que precisa de melhor qualidade de vida.

 

Não voto mais em gente de outra naturalidade. Doravante, independente do Partido Político, religião, ideologia, só voto em paulista. Por mais incompetente, corrupto ou venal que vier a ser, inclusive reacionário, conservador, extrema direita, fará menos mal para os sofridos brasileiros de lá.

 

Para melhorar o país é preciso melhorar São Paulo. Inevitável.

 

Vou aguardar os 5 bi, prometidos para Santa Catarina, e ver, em contra partida, para o equilíbrio da federação, quantos milhões serão destinados para São Paulo.

 

Meu voto vale os cinco bilhões... Mesmo tendo sido suspenso o repasse de 1 bilhão, ou quase, para o trecho da BR101 ao porto de São Francisco do Sul, por defeitos na licitação, impedindo assim a Justiça, que as obras tenham início.

 

Meu voto vale os 5 bi dado aos catarinas.

 

Roberto J. Pugliese
www.pugliesegomes.com.br
presidente da Comissão de Direito Notarial e Registros Públicos –OAB-Sc

 ( Fonte= Gabriel da Silva Júnior, Renap )
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário