sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Duplicar pistas da Belem Brasília - meta ousada.

Belém-Brasília: Em resposta a indicação de Halum, DNIT avalia obra em 3,5 bilhões


O deputado federal César Halum (PSD/TO) uniu suas forças ao pleito antigo do senador João Ribeiro (PR/TO) em duplicar a rodovia Belém-Brasília, especificamente no trecho que liga a cidade de Talismã à cidade de Wanderlândia e BR-226, no trecho que liga a cidade de Wanderlândia à cidade de Aguiarnópolis, todas situadas no Estado do Tocantins.

A pedido do ministro dos Transportes, Pedro Passos, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT enviou o projeto das obras das referentes rodovias para o conhecimento de César Halum. No documento assinado pelo superintendente regional (substituto), engenheiro Nilton Correa, é relatado que foi solicitado uma delegação de competência, para iniciar o processo licitatório de contratação dos serviços necessários para as obras de duplicação, que podem chegar a 779 km de extensão. “Trata-se de um empreendimento de grande importância para o Estado do Tocantins, por ser uma obra que vai melhorar as condições de segurança e comodidade da rodovia, tendo como objetivo principal de diminuir o número de acidentes, motivados, na maioria dos casos, pela imprudência dos motoristas, associada ao fato da rodovia ser pista simples”, argumentou o engenheiro do DNIT/TO, Nilton Correa.

Aproximadamente 10 mil veículos por dia trafegam no trecho citado da Belém-Brasília, sendo que destes cerca de 60% são transportes de carga. Para César Halum, autor da Indicação, a BR-153 “é de importância vital para a malha rodoviária do País” e que sua duplicação é extremamente necessária, pois os trechos sugeridos para que seja realizada a duplicação possuiu trafego intenso, haja vista que “o Brasil anda em cima de caminhão”, além de geografia bastante acidentada, culminando, assim, num tráfego de perigo e risco para aqueles que necessitam transitar pela região. “Os trechos em questão são os eixos de ligação da Região Centro-Oeste e o Meio-Norte do Brasil. É amplamente noticiado na mídia local os graves acidentes que ali ocorrem.

O elevado volume de tráfego existente no local igualmente se demonstra como fator atentatório à segurança viária, bem como aos moradores das localidades vizinhas a rodovia”, disse Halum.O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, afirmou que vai considerar a duplicação da BR-153 como “obra prioritária e fundamental junto ao governo federal.” A manifestação de Passos é mais um indício de que a presidente da República Dilma Rousseff (PT) deverá cumprir promessa de fazer a obra ainda durante esse mandato. O custo da obra pode ultrapassar o valor de 3,5 bilhões de reais, mas de acordo com César Halum o valor não pode ser justificativa para o não cumprimento da obra. “O trem-bala que querem fazer custará 64 bilhões, ou seja, o custo da duplicação das rodovias é totalmente compatível, e em minha opinião muito mais necessário”, disse.

“Não estou sozinho”César Halum destaca que não está sozinho neste pleito, o deputado afirma que apoia o senador João Ribeiro (PR/TO), que há muito tempo vem lutando pela duplicação da BR-153 e BR-226. “É válido enfatizar a atuação do senador João Ribeiro na solicitação da duplicação da Belém-Brasília, sou mais um parlamentar a mostrar a importância dessa obra. É importante e tem mais força ter um lutando no Senado e outro aqui na Câmara. Unidos chegaremos mais fortes no Ministério e na Presidência. É de se destacar que a atuação do Governo Federal está viabilizando, por meio do Ministério dos Transportes e do DNIT, obras de recuperação, pavimentação destas estradas e a construção de travessias urbanas (Colinas, Guaraí, Araguaína, Miranorte, Fuigueirópolis, Fátima, Nova Rosalândia).

No entanto, a duplicação das mesmas é indispensável para o atendimento das necessidades dos usuários daquelas rodovias colocadas à disposição da população”, conclui o parlamentar. (Informações Ascom CH)

Nenhum comentário:

Postar um comentário